quinta-feira, maio 12, 2016

PALAVRAS PARA BAILAR OTÁRIOS, ou pacientes de um Reich que já morreu

Primeiro, é preciso definir quem é o otário, e aqui, chamo de otário o militante e o considero otário, por duas importantes crenças minhas:
primeira crença - O ser humano, precisa buscar sua evolução como individuo e sua participação coletiva, será sempre uma complementação e sempre revisada pela sua meta individual;
Segunda crença, quando você aposta em um governo ou grupo, por decisões que você apenas recebe a tarefa de fazer isso ou aquilo, você não passa de um besta e geralmente mal pago, mas se você se considera um inseto e acha que ganharia menos do que sendo um mero esbirro e obediente babaca de um grupo, então você é um sobrante e não passa de um ladrão de oxigênio.
Então agora vamos falar das palavras que são ditas para bailar otários.
O pt, sabe que muitos dos seus militantes, frustados, gozam com palavras de ordem, em falta de um gozo real e concreto, por um caráter que não passa de uma capa construída por uma repressão interna e uma construção de um discurso de vitima, a impotência sexual é um imperativo desta vida mesquinha e sofrida, que encontra, em frases feitas repetidas muitas vezes e algum pouco dinheiro com data certa, a saída para uma vida de cachorro morto, que sem coragem, senão na covardia grupal e na valentia de ameaçar futuros, pois no presente é apenas um nada que baba raiva e destila ódios, e que se sabe sem crédito humano, e ai aposta em matar os opositores, essa gente ignorante,  faz com que sua desgraça, pareça uma felicidade, bastando ouvir aquelas palavras que aquele cérebro embotado entende, como por exemplo o famoso " não vai ter golpe, e então como bonecos que receberam cordas, aqueles militantes, pulam, mexem a cabeça e gritam numa unica voz, não vai ter golpe, enquanto Lula, conta os seus milhões desviados dos cofres públicos, ai o militante tem uma resposta rápida- Quem não roubou?
Mas os seus líderes, ganham bem, e tem o papel de bater nas costas, sorrir, para aqueles montes de nada, enfrentar o enfadonho das palavras de ordem e ter sempre uma vida dupla.
A rigor, sabemos, que no passado o PT prometeu um governo paralelo, que foi paralelo do paralelo, inexistente, hoje promete levar uma Dilma, a viajar o país, para discusar, em nome da democracia, para denunciar o golpe, golpe que a golpeada, pode anunciar que vai viajar, pago pelo governo golpista, vamos combinar, só permite aceitar esta tese, as pessoas mal intencionadas ou embotadas,
Dilma é uma pessoa que foi terrorista e sempre lutou contra a democracia. Dilma é odiada pelo povo, só pode falar para os otários, para uma platéia de militantes, que sem direito ao gozo na vida real, goza nas mentiras repetidas, pois estes militantes,  neuróticos, doentes, carregam em seu  intimo a capa mental reprimida,  a fuga de enfrentar o eu concreto de cada um, preferem a fantasia, a sublimação, a busca desesperada por uma outra vida, pois a que tem se tornou uma carga, o corpo do militante é aquele corpo que pesa e se torna um peso maior que o próprio corpo pode carregar.
O Lula, ALGOZ DE SI MESMO, a besta que se pensa senhor, é uma pereba apodrecida, vencida e sem cura, que logo logo será esquecida em um canto distante, para feder a vontade e sem perigo de assustar, pois a esquerda e seus defensores são divididos em dois grupos de doentes:
Um grupo formados por psicopatas, que usam estes pobres coitados neuróticos, doentes que renegam sua própria história corporal e o segundo grupo, formado pelos doentes neuróticos, necessitados deste tipo de relação, onde as palavras de ordem substitui a vida e qualquer projeto futuro com mortadela, cerveja, algum sexo barato e uma importância garantida nos discursos e nos apertos de mãos e batidas nas costas e uma permissão para quebrar o pretenso inimigo.
Assim se formou na esquerda seus exércitos, assim se formou no nazismo seus grupos de pressão e de matadores, assim na Venezuela, assim o Brasil do PT amigos dos empreiteiros se formou seus grupos de doentes mentais, militantes prontos para matar em troca de qualquer suspiro que indique uma vida que não tem, que não acreditam que possam ter, longe deste famigerado e fantasioso mundo de violência e imposição.
É a psiquiatria precisando socorrer a política.
Com a palavra Wilhelm Reich e sua função do orgasmo.

www.ronaldobragas.blogspot.com.br
Ronaldo Braga.

Nenhum comentário: