quinta-feira, abril 28, 2016

A esquerda e o exercício do poder.
Estamos vivenciando no Brasil 2016, a derrocada do projeto esquerdista de poder, partindo do princípio que a esquerda tem um projeto de poder que inclua a população, poderemos chamar de fracasso a administração Lulo Petista, mas se olharmos com mais cuidado o que tem sido na pratica esta administração que se finda com o impeachment da senhora Dilma, podemos afirmar que o partido fracassou, não na sua administração, mas sim em seu intento, que seria o de censurar a imprensa, amordaçar completamente o congresso e o supremo, para assim criar mecanismos de repressão para calar o povo e só permitir manifestação popular a favor do governo e reprimir com força quando contra o governo, o ensaio foi feito, impondo termos preconceituosos a quem não apoiava este governo de esquerda, como o termo coxinha. O PT nunca teve o povo em sua agenda, a administração nunca teve a prioridade do povo como prioridade de governo, a prioridade do governo sempre foi a busca do poder absoluto, para assaltar de uma vez o estado brasileiro, por isso dizemos que não houve fracasso administrativo do PT no governo desde 2003, pois nunca existiu uma admini stração das demandas do povo brasileiro.
Então alguém com o título de doutor, em alguma coisa, mas que geralmente é de história ou ciência social, diz que o governo Lula, foi um sucesso, e ajudou ao povo, o que além de uma grande mentira, é apenas tentativa de enganar ao povo sem nenhuma instrução, Vamos lá:
Um governo só ajuda ao povo quando cria estruturas para garantir o progresso sistemático e continuado, quando propicia condições saudáveis e duradouras de criação de emprego, quando não transforma pequenos grupos em privilegiados, quando aplica os recurso com transparência, quando não investe lá fora o que falta aqui dentro e quando não faz uso da miséria, como moeda de troca e compra de votos, mas antes, deve o governo, que respeita o povo, e trabalha, pensando tanto no presente como no futuro da nação e não no partido, organizar projetos que a médio e longo prazo permita que as pessoas mais pobres se tornem capazes de se manterem com seu suor, com seu trabalho e não congelando a miséria, mantendo pessoas pobres eternamente dependentes do estado e usando estes pobres como soldados do partido no poder.
Podemos então pegar ponto por ponto e verificar como foi negativo, os projetos do PT, que aparentemente tinha como pretensão favorecer os pobres, mas que na pratica visava criar uma mascara, de justiça social quando, na verdade aumentava a miséria, e apenas propiciava a corrupção, com o objetivo de enriquecimento pessoal e a compra de deputados, e de jornalistas sem nenhum caráter que se vende, usando a ideologia como sombra para esconder que não passam de criminosos com diploma de jornalismo. Assim podemos destacar;
BOLSA FAMÍLIA
É um projeto que ninguém pode ser contra, mas se não ter uma porta de saída dos beneficiados, com critérios bem definidos pode se transformar, em apenas compra de votos e congelamento da miséria, como aconteceu com este governo, deveria o projeto buscar alternativas para inserir os beneficiários do BOLSA FAMÍLIA, em empreendimentos que os qualificassem para o mercado de trabalho, além da necessidade de uma educação fundamental de alta qualidade, que na verdade será a única forma sustentável de melhorar a vida social dos mais pobres.O que sabemos é que o BOLSA FAMÍLIA,além de ser compra votos, é também usado para embolsar recursos, beneficiando quem não precisa e não deveria constar como beneficiário, empregando companheiros com gordos salário em cargos ligados ao projeto, e amealhando entre as pessoas beneficiadas, soldados de guerra do partido, e para conquistar estas pessoas, mentem sobre a intenção da oposição de ser contra o projetos, e ao mesmo tempo que impede a aprovação da proposta da oposição, que transforma o BOLSA FAMÍLIA, em um política de estado, para justamente impedir que seja usado como propaganda partidária.
REFORMA AGRÁRIA
A reforma agrária se transformou em caso de polícia, por várias razões, o governo petista, usou assim como usou o bolsa família, a reforma agrária para roubar o dinheiro público e abastecer tanto a conta de pessoas com as do partido e a de aliados,
PRIMEIRA RAZÃO – Comprando fazendas por preços bem acima do de mercado, ao ponto de o tribunal de contas pedir o cancelamento imediato destas compras e também da forma como foi e é distribuído tanto as terras como a verba para que o beneficiado possa beneficiar a propriedade recebida, o tribunal de contas descobriu mortos, como beneficiários do programa de transferência de terra e de dinheiro, além de gente que ganha bem acima do necessário para poder ser beneficiado deste programa, professor universitário, donos de carros de luxo e outros que não reúnem as condições que torna um homem ou mulher em um sem terra,
SEGUNDA RAZÃO – O que deveria ser uma forma de justiça social no campo, se transformou em uma indústria de corrupção desenfreada, revelando que o propósito do petismo não era e nunca foi a reforma agrária, mas sim se apoderar do dinheiro publico usando diversas formas. e ainda existe um outro fator perigoso e criminoso que o governo patrocinou, que foi a distribuição de fartas verbas tanta para líderes dos sem terra, como para o movimento, em vez de fazer a reforma agrária, enriqueceu pessoas que lideram o MST e o próprio MST, com objetivos de fortalecer o partido na sua luta de apoderar de forma criminosa do país.
TERCEIRA RAZÃO – A mentira, o engodo, ao não realizar a reforma agrária, mas usar os mais pobres,. colocando estas pessoas em situações de moradias em péssimas condições, morando em cubículos com paredes e tetos de plásticos pretos, com uma alimentação de baixa qualidade nutritiva, ao mesmo tempo que ameaça o país, e descaradamente mente, quando afirma se preocupar com os sem terras.
MOVIMENTOS SOCIAIS
O PT não resolve as questões, por que é mais ganho para o partido manter essa pessoas em situações precárias, enquanto os usam como força partidária para ameaçar e intimidar a sociedade, enche os líderes destes movimentos de dinheiro, prometem um futuro que não existirá e mantém o pobre bem pobre, mas preso ao estado com posturas demagogas, dinheiro para festas, almoços coletivos, que são sempre com preços exorbitantes, uma vez que o PT cobra propina até para compra de mortadela.
Estamos falando de projetos que eram tidos como de importância total para as esquerdas e que na verdade não passaram de engôdos deste governo que só trabalhou em função do enriquecimento pessoal dos envolvidos e do partido e dos aliados.
FINANCIAMENTO A PAÍSES AMIGOS
O Lulo-petismo gastou bilhões de dólares em países de esquerda, de uma forma estranha, pois a sociedade que é a dona do dinheiro não pôde saber quanto e nem quais as condições destes empréstimos e doações. Numa tramoia, que esconde do brasileiro o uso de seus recursos financeiros e ao mesmo tempo que revela obscuros interesses e o uso final destes recursos,pois existem fortes suspeitas do retorno de parte deste dinheiro, como no caso da prisão de João Santana e esposa, para ajudar o pt nas campanhas políticas e no aumento da riqueza dos caciques petistas e aliados.
BNDES
O governo quebrou esta instituição, emprestando dinheiro em troca de propina, e sem mesmo saber se o recurso iria ser usado como deveria, segundo as regras do banco, ajudando amigos e cúmplices, tudo em função não do país mas sim do projeto criminoso de poder que s fez mau ao Brasil.
PETROBRÁS
De conhecimento geral, os companheiros roubaram a vontade a estatal, quebrando uma gigante que hoje deve mais do que vale, e aos poucos se inviabiliza.
.
UNIVERSIDADE
Com uma atitude demagógica e irresponsável, o governo abriu universidades a torto e a direito, sem nenhum critério e sem nem mesmo perceber que o país precisa primeiro de um ensino fundamental e de segundo grau de qualidade, para depois fortalecer e democratizar o ensino do terceiro grau, mas na pratica o governo usou estas universidades para que o dinheiro escorresse por estes canais em direção aos bolsos dos companheiros e do partido, ao mesmo tempo que usava estas aberturas canalhas em propagandas. Outro ponto que degenera a economia do Brasil é o desprezo deste governo pela ciência exata e a escolha pelos cursos de sociologia e história.
Para não alongar, a Venezuela, hoje, depois de quebrada pela esquerda, criou a semana de depois dias para o funcionário público, para não faltar energia mais ainda do que falta, Venezuela, Brasil, foram trucidados por uma ideologia assassina e devoradora, que nada constrói, mas que destrói com uma capacidade impar.
Agora, quando a nação acorda e decide mandar os malditos para longe, eles, mais uma vez tentam boicotar o país, com a atitude de dona Dilma de não repassar as informações necessárias para a continuidade da administração do governo federal nas mãos do vice que constitucionalmente deve assumir com o impeachment da famigerada mãe do Pac.
O Brasil paga caro pelo erro de ter ouvido gente como Chico Buraque, que criou musicas lindas, mas tem um esgoto no pensamento político, que é um monstro, pois defende o assassinato e o roubo como forma de fazer e viver a política.
Mais apesar de Chico Buarque e do pt, amanhã será um novo dia para o Brasil.

domingo, abril 24, 2016

GENTE DE BEM E GENTE CANALHA



Um homem pode sim, defender uma ideia criminosa e não ser criminoso, isso pode acontecer, por inocência, por ignorância, por dificuldade em rever seus atos, ou ainda por não aceitar que errou em algum diagnóstico, mas este homem só não será criminoso, na medida que sua ação de defender não ultrapassar certos limites, ou se seus atos também não sejam criminosos.
O que assistimo deste tal de Zé de Abreu, não é um inocente defendendo uma ideia errada, não, é sim um criminoso, defendendo a sua quadrilha, a atuação deste ator, neste episódio do restaurante, revela seu caráter doente psicopata, ele distorce os fatos para caber em sua figura patética, conta o que não existiu para se exibir e para que os seus iguais possam gozar alguns segundos a covardia do "coxinha". Ora, ele nem mesmo se importa em saber que a gravação do fato pode lhe desmascarar, o que lhe importa é contar lorotas para ser um grande em algum momento fracionado, ele cospe nas pessoas e afirma brigando contra a imagem, que os cuspidos são covardes por não terem reagidos, quando a verdade é que se os seguranças não segurassem o rapaz, este fantoche de Lula estaria com a cara de pau oco quebrada e muito bem quebrada, ele que de forma covarde vai se retirando, ele que de forma covarde cospe  as pessoas por não ter a capacidade de, ou ouvir em silêncio ou rebater com palavras as palavras que ouvia.
Zé de Abreu é o retrato do que sobra na esquerda e no Lulo-petismo, a caricatura de gente, do humano, um sujeito sem classe, que trabalha na globo, mora em um lugar caro e se acha no direito de chamar o adversário de coxinha.
O Brasil vive um momento de evolução na sua árdua estrada política, nunca antes neste país, a teoria LIBERAL, foi tantas vezes discutida e aceita sem nenhum constrangimento e nunca antes a esquerda teve seus méritos desqualificados, não por inimigos, mas pela sua pratica ineficiente, mérito na esquerda é uma mentira, a esquerda destrói e nada constrói, a esquerda distribui aquilo que não produziu e esta distribuição faz o país despencar e acaba prejudicando sempre o mais pobre, por uma razão simples, a distribuição não dura muito tempo e é sempre pequena, e então quando acaba a farra da distribuição de moedas para os pobres e de bilhões para os ricos, tem a seguinte realidade: o rico tem seus bilhões guardados e os pobres não tem mais as moedas e ainda deve muito por que acreditou no discurso mentiroso e criminoso da esquerda, foi assim na Espanha de Gonzalez, na Argentina até 2015 e no Brasil  de Lula. A conta tem que ser paga e quando ela é jogada ao lado com se não existisse, ela volta e cobra todo o valor retido. Já disseram antes: não tem almoço grátis.

O mundo é uma festa para estes canalhas vermelhos que se empanturram do suor do povo e sai por ai a cantar farofas ao vento, e vomitam mentiras sobre tomar a fortuna dos ricos, pode tomar sim, mas vai acabar e não haverá rico para produzir de novo, veja Cuba, uma miséria só, claro, a miséria é total menos para os comunistas, pois para eles o estado tem luxo e riqueza, enquanto que para o Cubano comum chicote e vida dura.
Zé de Abreu é um defunto que não foi devidamente enterrado. Sai satanás.

www.ronaldobragas.blogspot.com.br
Ronaldo Braga

sábado, abril 23, 2016

O GOVERNO PARALELO DA MÁFIA

A repetição do passado como farsa, não é uma fatalidade,  como afirma Marx, mas algumas vezes a farsa se torna um imperativo, se ao contrário, tal repetição, não for apenas uma comédia pastelão.

O PT anuncia aos quatro ventos que o governo Lulo-petista da quase ex presidente Dilma, vai funcionar paralelamente ao governo Temer, será um governo paralelo? Ou será um desgoverno sem sentido e nem razão? Pois com a máquina oficial na mão, este governo que finda, soube com precisão e competência, distribuir moedas para alguns, bilhões para outros e promessas e desempregos  e terror ao povo brasileiro, soube ainda com uma capacidade impar desgovernar o país e causar um estrago que levará anos para a sua recuperação, agora, ameaça com um governo paralelo que pode nos levar  a abrir a boca e  soltar um: OXENTE! Não tem juízo este povo não?

Certas arrogâncias, quando não findam na hora certa, levam fatalmente ao desespero e à ruína da pessoa que acometida deste mal, não consegue recuperar a lucidez e a compostura e se torna prisioneira de uma loucura, onde o delírio substitui a realidade. e então a pessoa passa a servir de chacota da opinião pública, o PT pode passar, da ameaça de parar o país com suas legiões de criminosos disfarçados de centrais sindicais, de partidos políticos e de pseudos movimentos sociais, para ser a razão das gargalhadas do povo, pois este governo paralelo, não mete medo em ninguém, apenas se tornará o palco do pastelão moderno do Brasil.

No passado, quando o Lula ainda preservava sua verdadeira identidade e enganava o povo, o pt criou, quando derrotado no primeiro turno, esse tal de governo paralelo, não durou nem mesmo vinte segundos, depois de anunciado foi esquecido e não se falou mais nisso, tenho certeza que para a salvação do pt, esse novo governo paralelo, deve ter o mesmo tempo de vida, uma vez que se ele resistir mais tempo, não restará outra alternativa se não o riso largo e de galhofa do povo em resposta a mais essa ação dantesca deste grupo de gente que  que afundou o Brasil com um projeto criminoso de poder.

Que o PT  saiba, que a esquerda saiba, o que quer o povo é o liberalismo na economia, e a democracia na política, o povo quer um presidente que não queira estrangular os outros poderes, o povo quer que o partido no poder não queira comprar a imprensa, nem sufoque a oposição com compras de políticos, não compre movimentos sociais, uma vez que a miséria não pode ser usada como moeda de pressão e sim que o estado com sua política resolva o problema social e encontre uma maneira de incorporar cada vez mais pessoas ao mercado de trabalho e ao direito de viver bem, mas que também o país eduque seus homens e mulheres, seus jovens a lutarem para vencerem por seus próprios meios, a não aceitarem a esmola do estado e sim que lute por condições para se sustentarem, a rigor, projetos como bolsa família, não pode ser um fim, antes precisam ser meios para o progresso e que outros projetos paralelos, façam do bolsa família uma etapa e não uma finalidade.

Não sou contra o governo Temer, pois é ele que temos como alternativa, mas se o supremo, caçar a chapa, ou se o senado não aprovar o impedimento, a vida continua e não tenho o que fazer além de lamentar o triste percurso do Brasil até 2018, pois acho que com Dilma ou como um presidente eleito de forma indireta pelo congresso a coisa será pior que com Temer.

Enquanto isso vou me divertindo com as piadas dos criminosos, ao mesmo tempo que espero que o supremo tenha brio e resolva logo a situação do Lula, que urgentemente precisa pagar por seus crimes, cometidos, pelo menos, desde 2001.
O Brasil precisa por um fim ao imposto sindical, fazer uma CPI das centrais sindicais, uma CPI do governo LULA-DILMA, e uma CPI dos movimentos sociais.


www.ronaldobragas.blogspot.com.br
Ronaldo Braga

quarta-feira, abril 20, 2016

A BOA FALA DE AUGUSTO NUNES

A cafetina do passado trucida o presente e o futuro. Os torturados somos nós

A conversa fiada de Dilma Rousseff informa: sai o coração valente, entra a coitadinha perseguida desde a juventude. Nesta segunda-feira, com olheiras de quem atravessou a madrugada ouvindo gritos de SIM em todos os sotaques, reapareceu para ensinar que impeachment e tortura são a mesma coisa. É a vítima banalizando a violência que sofreu ─ violência execrada por todos os homens de bem ─ para transformá-la em pilantragem marqueteira.
“Eu estou tendo meus sonhos torturados”, choramingou a cafetina do passado. (Por falta de ensaio, a lágrima furtiva não caiu). “Mas não vão matar em mim a esperança, porque eu sei que a democracia é sempre o lado certo da história”. Se não mentiu, é uma conversão e tanto: ela esteve do lado errado da história desde a virada dos anos 70, quando resolveu derrubar a bala o governo dos generais e trocar a ditadura militar pela ditadura comunista.
A comparação absurda, constata o comentário de 1 minuto para o site de VEJA, é apenas uma vigarice abjeta, que torna uma torturada tão desprezível quanto seu torturador. Enquanto evoca sevícias sofridas nos anos 70, a mulher que faz qualquer negócio para escapar do despejo decretado pelo povo trucida o presente de milhões de brasileiros e agride com selvageria o futuro da nação.
É Dilma a torturadora. Os torturados somos nós.

domingo, abril 17, 2016

IMPEDIMENTO JÁ, PARA CONSAGRAR O LIBERALISMO POLITICO E ECONÔMICO

Bastam 342 votos dos deputados para o sim mas eu espero 360 cravados neste domingo.
Hoje, dia que será conhecido no futuro como o real dia da libertação do Brasil, o começo de uma arrancada do país em direção ao LIBERALISMO politico e econômico que fatalmente modernizará o processo de aprendizagem que terá na meritocracia o principal valor, proteção social sim, mas não como politica de compra de votos, mas como ponte para que as famílias possam   produzir seus sustentos.
O estado forte é a entrada da malandragem dos bandidos, para transformarem o país em quintal destes espertos malandros, escravizarem os pobres, e fazer do partido o dono de tudo, em um autentico retorno do absolutismo, na pessoa do líder do famigerado partido único.
A luta agora será, além de politica, cultural, pois devemos enfrentar na formação psicológica e artística do povo brasileiro e lutar pelo fim do imposto sindical e exigir uma cpi dos movimento sociais e do ministério da cultura.
É preciso passar a limpo este país e não somente tirar a quadrilha do poder.

www.ronaldobragas.blogspot.com.br
Ronaldo Braga

sexta-feira, abril 15, 2016

A MAIORIA SILENCIOSA SAIU DO SILENCIO

Bené, o homem de Dilma preso e o pt ainda grita que não vai ter golpe, mas no entanto ele, o PT,  tem razão, vai ter golpe sim, vai ter o golpe de quem foi sempre golpeado, ignorado, vai ter golpe do povo que era conhecido como a maioria silenciosa e que não teve alternativa e teve que gritar, teve que  mostrar que ainda vivia, pois ou dava as caras ou desapareceria nas manobras fascistas das esquerdas.
Quem tem mais de quarenta anos e fez universidade, sabe que em uma sala de um curso qualquer na década de setenta e oitenta, tinha 5 esquerdistas e 36 pessoas que não concordavam com as ideias das esquerdas, mas ficavam em silencio, então esses cinco, gritavam, berravam e se transformavam nos donos das verdades e das agendas daquela sala e do curso e da universidade, a maioria aceitava tudo, era contra a greve, mas acabava tendo que fazer greve, pois não tinham a coragem de dizer não àqueles facínoras que enfurecidos e em total descontrole ameaçavam qualquer um que não concordassem com eles e uma minoria bem minoria, mandava e desmandava numa maioria alarmante, gigantesca em se tratando de quantidade, pois bem, o tempo passou, essa minoria doente, chegou ao poder federal, à presidência da república e de repente o passado voltou na cabeça de milhões, são os mesmo e são minoria e agora querem me enquadrar, tomar meu emprego, me escravizar, acabar com a liberdade de imprensa, fazer do Brasil uma república de ladrões, de drogados, de medíocres, eu estudei e não terei valor nenhum, serei nada, pois sempre fui calado e aceitei o que eles queriam no passado, agora não.
Hoje, o Brasil que acontece, é aquele Brasil que não tinha voz, pois por medo ou por qualquer outra razão, se alijava e perdia  o direito de fazer acontecer o país como queria, agora, por não mais aguentar tanto golpe, esta maioria devolveu e foi as ruas e disse:
- Eu também sei gritar e o que eu quero não inclui o PT, não inclui a esquerda,  o que eu quero é mérito, esforço, honestidade, respeito e nada disso faz parte da história das esquerdas, eu sei, pois desde jovem conviver com a esquerda e sei muito bem que são bandidos, são desonestos, ganham no grito e o que interessa para essa gente vermelha, não é o principio, mas sim o vencer, e para ganhar, defendem o oposto do que defendiam no minuto anterior, por conveniência mudam discursos, com mais facilidade que prostitutas de clientes.
A maioria silenciosa deu um golpe na arrogância do pt e colocou areia movediça em baixo dos pés destes fascistas vermelhos, que achavam que estavam desfilando em um terreno preparado para o seu sucesso.
Então não foi as elites que deu o golpe, as elites recebeu o golpe, as elites desfilam com o pt e quem vive do trabalho seja rico ou pobre sabe que com a esquerda não tem futuro.
Impedimento de Dilma sim, mas agora é preciso pensar em :
- fim do imposto sindical;
- impedimento de juízes do supremo que não serve ao país e rasga a constituição;
- leis duras contra a corrupção;
- penas maiores para deputados corruptos;
- e a avaliação de se impedir que partidos que em seus programas defendem ideias que são inimigas da democracia, possam ter registros para funcionarem.

www.ronaldobragas.blogspot.com.br
Ronaldo Braga

Marco Antonio Villa no Sem Edição com Augusto Nunes: ‘A Câmara dos Deputados fará no domingo a vontade das ruas’

quinta-feira, abril 14, 2016

ENTREVISTA AO TODO SEU DE RONNIE VON

Quem defende e 

quem não 

defende a 

legalidade



REINALDO AZEVEDO


terça-feira, abril 12, 2016

segunda-feira, abril 11, 2016

Ary Fontoura PARA DILMA-
 GOLPE QUEM DEU FOI A SENHORA



domingo, abril 10, 2016

TRAMOIA DO PT PARA ESCONDER O ASSASSINATO DE CELSO DANIEL

Seis gravações escancaram a conspiração forjada pelo PT para impedir que fosse esclarecido o assassinato de Celso Daniel

Há uma semana, a reportagem de capa de VEJA expôs o estreito parentesco que vincula o Petrolão, o Mensalão e o assassinato de Celso Daniel, alvo da 27ª fase da Lava Jato, batizada de Carbono 14. Os três escândalos pertencem à mesma linhagem político-policial. Foram praticados pelo mesmo clã. Somados, demonstram que a transformação do PT em organização fora da lei, pronta para submeter a máquina federal a seus desígnios e eternizar-se no poder, começou a definir-se em janeiro de 2002.
O acervo de provas materiais das delinquências que balizaram o caminho da perdição é tão portentoso que milhões de brasileiros ainda não foram devidamente apresentados a preciosidades descobertas no início do século. Uma delas é o lote de áudios que registram conversas de altíssimo teor explosivo gravadas por investigadores da Polícia Federal incumbidos de esclarecer o assassinato de Celso Daniel. Esse grampo é avô do que mostra as safadezas tramadas por Lula e seus devotos, divulgado pelo juiz Sérgio Moro.
Se fosse só prefeito, Celso Daniel já teria brilho suficiente para figurar na constelação das estrelas nacionais do PT. Uma das maiores cidades do país, Santo André é a primeira letra do ABC, berço político de Lula e do partido. Mas em janeiro de 2002 ele já cruzara as fronteiras da administração municipal para coordenar a montagem do programa de governo de Lula, novamente candidato à Presidência. Quando foi sequestrado numa esquina de São Paulo, Celso Daniel ocupava o mesmo cargo que transformaria Antônio Palocci em ministro da Fazenda.
Foi um crime político, berraram em coro os Altos Companheiro assim que o corpo foi encontrado numa estrada de terra perto da capital. A comissão de frente escalada pelo PT para o cortejo fúnebre, liderada por José Dirceu, Aloízio Mercadante e Luiz Eduardo Greenhalgh, caprichou no visual. O olhar colérico, o figurino de quem não tivera tempo nem cabeça para combinar o paletó com a gravata, o choro dos órfãos de pai e mãe, os cabelos cuidadosamente desalinhados – os sinais de sofrimento se acotovelavam da cabeça aos sapatos.
Até então, a única versão na praça se amparava no que tinha contado o empresário Sérgio Gomes da Silva, o “Sombra”, ex-assessor de Celso Daniel. Segundo o relato, os dois voltavam do jantar num restaurante em São Paulo quando o carro blindado foi interceptado numa esquina por bandidos que, estranhamente, levaram só o prefeito e nem tocaram na testemunha. O depoimento de Sombra pareceu tão verossímil quando uma nevasca no Nordeste. Mas a comissão de frente monitorada por Lula não tinha tempo a perder com possíveis contradições no samba-enredo.
Embora mal ajambrada, a letra combinava com o refrão que interessava ao PT: Celso Daniel fora assassinado por motivos políticos. Dirceu e Mercadante lembraram que panfletos atribuídos a uma misteriosa organização ultradireitista haviam prometido a execução de dirigentes do partido.  Toninho do PT, prefeito de Campinas, fora abatido a tiros em setembro de 2001. Celso Daniel era a segunda vítima. Grávido de ira com a reprise da tragédia, Greenhalgh acusou o presidente Fernando Henrique Cardoso de ter ignorado os apelos para que adotasse meia dúzia de medidas preventivas.
Em pouco tempo, a polícia paulista prendeu alguns prontuários ambulantes, que assumiram a autoria do assassinato, e deu o caso por encerrado. Paradoxalmente, o PT endossou sem ressalvas a tese do crime comum. A família de Celso Daniel discordou do desfecho conveniente. O Ministério Público achou a conclusão apressada e seguiu investigando a história muito mal contada. Logo emergiram evidências de que o crime tivera motivações políticas, sim. Só que os bandidos eram ligados ao PT.
Ainda no início do último mandato de Celso Daniel, empresários da área de transportes e pelo menos um secretário municipal haviam concebido, com a concordância do autorização do prefeito, o embrião  do que o Brasil contemplaria, em escala extraordinariamente ampliada, com a descoberta do Mensalão. Praticando extorsões ou desviando dinheiro público, a quadrilha infiltrada na administração de Santo André supria campanhas do PT. Em 2001, ao constatar que os quadrilheiros estavam embolsando boa parte do dinheiro, Celso Daniel avisou que denunciaria a irregularidade ao comando do partido. Foi para tratar desse assunto que Sombra, um dos pecadores, convidou o prefeito para um jantar em São Paulo.
Entre o fim de janeiro e meados de março de 2002, investigadores da PF encarregados de esclarecer o assassinato gravaram muitas horas de conversas telefônicas entre cinco protagonistas da história de horror: Sérgio Gomes da Silva, o Sombra, Ivone Santana, namorada da vítima (que já se havia separado de Miriam Belchior), Klinger Luiz de Oliveira, secretário de Serviços Municipais, Gilberto Carvalho, secretário de Governo de Santo André, e Luiz Eduardo Greenhalgh, advogado do PT para causas especialmente cabeludas. As 42 fitas resultantes da escuta foram encaminhadas ao juiz João Carlos da Rocha Mattos.
Em março de 2003, pouco depois do início do primeiro mandato presidencial de Lula, o magistrado alegou que as gravações haviam sido feitas sem autorização judicial e ordenou que fossem destruídas. A queima de arquivo malogrou: incontáveis cópias dos áudios garantiram a eternidade dos registros telefônicos. Em outubro de 2005, quando cumpria a pena de prisão imposta ao juiz que prosperou como vendedor de sentencas, Rocha Mattos revelou a VEJA que os diálogos mais comprometedores envolviam  Gilberto Carvalho, secretário-particular de Lula de janeiro de 2003 a dezembro de 2010 e chefe da Secretaria Geral da Presidência no primeiro mandato de Dilma Rousseff .
“Ele comandava todas as conversas”, disse Rocha Mattos. “Dava orientações de como as pessoas deviam proceder e mostrava preocupação com as buscas da polícia no apartamento de Celso Daniel”. Em abril de 2011, já em liberdade, Rocha Mattos reiterou a acusação. “A apuração do caso do Celso começou no fim do governo FHC”, afirmou. “A pedido do PT, a PF entrou no caso. Mas, quando o Lula assumiu, a PF virou, obviamente. Daí, ela, a PF, adulterou as fitas, eu não sei quem fez isso lá. A PF apagou as fitas, tem trechos com conversas não transcritas. O que eles fizeram foi abafar o caso, porque era muito desgastante, mais que o Mensalão. O que aconteceu foi que o dinheiro das companhias de ônibus, arrecadados para o PT, não estava chegando integralmente a Celso Daniel. Quando ele descobriu isso, a situação dele ficou muito difícil. Agentes da PF manipularam as fitas de Celso Daniel. A PF fez um filtro nas fitas para tirar o que talvez fosse mais grave envolvendo Gilberto Carvalho”.
As seis gravações escancaram a sórdida conjura dos grampeados dispostos a tudo para enterrar na vala dos crimes comuns um homicídio repleto de digitais do PT. A história do prefeito sequestrado, torturado e morto é um caso de polícia e uma coisa da política. As conversas também revelam a alma repulsiva do bando. Celso Daniel aparece nas gravações como um entulho a remover. Não merece uma única lágrima, um mísero lamento. Os comparsas se dedicam em tempo integral à missão de livrar Sombra da cadeia e acalmar o parceiro que ameaça afundar atirando.
Ouça as vozes dos assassinos de fatos combinando o que fazer para impedir o esclarecimento do crime hediondo. Passados mais de 14 anos, a reaparição do fantasma avisa que a tramoia fracassou. Enquanto não for exumada toda a verdade sobre esse capítulo da história universal da infâmia, todos os meliantes sobreviventes serão assombrados pelo prefeito proibido de descansar em paz.
Áudio 1
Luiz Eduardo Greenhalgh diz a Gilberto Carvalho que é preciso evitar que João Francisco, um dos irmãos de Celso Daniel, “destile ressentimentos” no depoimento que se aproxima. “Pelo amor de Deus, isso é fundamental!”, inquieta-se Carvalho.
00:00
00:00

Áudio 2Um interlocutor não identificado elogia Ivone Santana, que namorava Celso Daniel desde o fim do casamento com Miriam Belchior, pela entrevista concedida ao jornal Folha de S. Paulo. E incentiva a viúva da vez a repetir a performance no programa de Hebe Camargo. Alegre, Ivone informa que vai fazer o reconhecimento das roupas da vítima. O homem do outro lado da linha quer saber como “o cara” estava vestido. “O cara” é o morto que Ivone finge chorar.
00:00
00:00

Áudio 3: À beira de um ataque de nervos, Sombra cobra de Klinger um imediata operação de socorro. Sobressaltado com o noticiário jornalístico, exige que Gilberto Carvalho trate imediatamente de “armar alguma coisa”.
00:00
00:00

Áudio 4: Klinger diz a Sombra que Gilberto Carvalho está preocupado com o teor do iminente depoimento do companheiro acusado de ter ordenado a morte do prefeito. Sugere um encontro entre os três para combinar o que será dito. No fim da conversa, os parceiros comemoram a prisão de um suspeito.
00:00
00:00

Áudio 5: Gilberto Carvalho cumprimenta Ivone Santana pela boa performance em entrevistas e depoimentos. Carvalho acha que as declarações mudarão o rumo das investigações.
00:00
00:00

Áudio 6: A secretária de Klinger retransmite a Gilberto Carvalho rumores segundo os quais a direção nacional do PT pretende manter distância do caso “para não respingar nada”. Carvalho nega e encerra o diálogo com uma recado sem identificação de destinatário: é nessas horas que se percebe quem são os verdadeiros amigos.
00:00
00:00
Com a queima das provas sonoras, Rocha Mattos virou sócio do clube de magistrados para os quais uma irregularidade processual é muito mais grave que qualquer delito. Nessa escola de doutores, aprende-se que quem arromba a porta do vizinho que está matando a mãe e evita a consumação do crime deve ser preso por invasão de domicílio. Como as gravações das conversas entre Lula e seus devotos foram autorizadas pelo juiz Sérgio Moro, o ministro Teori Zavascki anda à caça de outro pretexto semelhante para declarar inexistente o palavrório que estarreceu o país.
Se seguir o exemplo do juiz ladrão, Teori não tardará a constatar que errou feio — e errou para nada. Milhares, milhões de cópias em circulação nas redes sociais informam que a verdade já não pode ser destruída. Graças à escuta promovida pela Lava Jato, foi abortada uma conspiração contra o Estado de Direito comandada por Lula e apoiada por Dilma. O resto é firula bacharelesca, conversa fiada. O essencial é que há culpados a punir. O que importa [e que o castigo vira.
Augusto Nunes, da revista Veja.