sábado, janeiro 23, 2016

A FÚRIA FEMININA



  Durante a sua revolta, com uma duração mínima de aproximadamente 15 segundos,

me ocorrera uma sublevação insuspeita. Desde as profundezas acima, acentuaram-se as

incertezas sobre um futuro provável, de clima ruim. O ruído dos ventos chocava-se com

um coração infeliz. Ademais, trovejavam escárnecidos, os gritos femininos de um lugar

incomum. Era ela, um gigante sem cérebro, infrene, enfrentando os perigos fugidios de

uma eminente revelação derradeira. Seu coração dilacerado não tinha nome, nem tinha

honrado uma posição no espaço. Sua cabeça não tinha formato, era um monstro

incólume, demolindo ferozmente as paredes do diálogo. Torpe, definitivamente. Dava

para notar que era ela quem vinha de longe, e  que sua vontade se entrelaçara às vísceras

ensanguentadas do destino. Sôfrega, a todos haveria de consumir no seu lamaçal, que

era também o mesmo da contígua miséria humana universal. Ela era feliz então. Mas, e

o lamaçal? Ao menos um dia alguém assim o quis, dessa maneira.

  O destino dessas verdadeiras musas flui subjacente ao infinito, nunca saberemos ao

certo qual o local, de fato, para onde o seu fôlego nos aponta. A vida torna-se rara,

porquanto insistirmos futilmente em nos amar, como animais que amam a próxima

porção de ração, como quem idolatra à uma concessão divina.

  Uma flor morta no elevador diante do espelho. Passivamente, aquele que observou o

dia passar, sentiu-se igualmente passivo. E é assim que se acaba o dia nos grandes

centros urbanos.  Como se não tivesse acontecido, como se não tivesse jorrado sangue

durante a jogatina das horas. É a fruição contínua dos pesares que agora vos desafia, o

troféu dos afetados quer de vocês uma nova liturgia.


João Pedro Braga Santana Santos

terça-feira, janeiro 12, 2016

UM MINUTO COM AUGUSTO NUNES

As revelações de Cerveró sobre Lula preencheram a grande lacuna no elenco do Petrolão: faltava o poderoso chefão

As revelações de Nestor Cerveró sobre a participação de Lula na negociata que envolveu o grupo Schahin, o amigão José Carlos Bumlai e o comando do PT finalmente preencheram a grande lacuna do Petrolão: faltava incorporar ao elenco o chefe supremo do bando. Até ontem, o astro só havia interpretado personagens irrelevantes. Depoente convidado, por exemplo. Ou testemunha voluntária.
O que agora se sabe há de reparar a injustiça. O coadjuvante logo estará formalmente promovido a protagonista. O portador de mudez malandra será intimado a abrir o bico. As investigações nas catacumbas acabarão descobrindo as bandalheiras que esconde. Graças a Cerveró, consumou-se a anunciação da tempestade.
Entre outros espantos que já não surpreendem ninguém, ele contou que ganhou do então presidente um empregão na BR Distribuidora por ter facilitado o desvio de 12 milhões de reais para os cofres clandestinos do PT. A patifaria reitera que o Petrolão é um faroeste em mau português cujos contornos épicos o credenciam a transformar-se na versão nativa do Poderoso Chefão ─ com Lula no papel do Don Corleone à brasileira.
Cada país tem o Marlon Brando que merece.

Presidente do Partido Novo

Do neopatrimonialismo ao assalto



com
REINALDO AZEVEDO

segunda-feira, janeiro 11, 2016

votar no pt é votar contra a vida

A única coisa que eu posso dizer, diante do exposto pelo Gabeira, é que se o povo brasileiro, aceitar a manobra petista, de de forma irreal, fantasiar a economia com mais um vôo de galinha, para enganar por mais um ou dois anos e ganhar as eleições de 16 e 18, teremos então um povo que merece realmente o pt e depois que se dane, a economia se afundará por uns vinte anos e isso jogará o Brasil para os séculos 17 e 18.
Ora, o PT não se preocupa com a saúde da economia, nem com o povo brasileiro, o pt quer o poder, quer continuar manada nas tetas do poder e manter Lula longe das grades.
Cabe ao povo brasileiro dizer sim ou não, tudo, hoje, corre livremente na transparência, mesmo com Janot, fazendo de tudo para proteger o Lula, todo mundo, hoje sabe, que ele, o Lula, é o chefe de toda trama criminosa e portanto, votar no pt é votar contra a vida.

Ronaldo Braga

SOBRE A FANFARRONICE DE BOLSONARO, O JAIR

Criticar Bolsonaro, ou mesmo criticar um pensador, deveria ser visto como normal e definir de forma clara, o papel desempenhado por Bolsonaro, o pai, na politica brasileira de hoje, deveria ser elogiado por todos os que não se prendem  a pensamentos estabelecidos por razões escusas, mas que antes percebe os fatos como eles acontecem e os coloca não distorcidos, para que  caibam em suas teorias ideológicas, mas os revelam na sua forma crua.
Admiro Olavo de Carvalho, mas o Reinaldo Azevedo, foi certeiro na sua critica ao comportamento de Olavo, um mestre que precisa quebrar o seu próprio espelho, em relação a esta questão BOLSONARO . Aliás, nesta questão Bolsonaro, sobre o próprio Jair,  o Reinaldo foi também certeiro, e  não somente desta vez, pois ele já vem, aqui em seus escritos, deixando claro, quem é golpista e quem luta contra o golpismo. Bolsonaro, existe para que possa  existir  gente como o deputado Jean do psol, nada mais, sua fala é pobre e confunde conhecimento com opinião, concordo com o Azevedo, Bolsonaro   pertence aquela direita que não respeita o pensamento democrático, portanto não interessa ao país, interessa sim ao PT, que tem um discurso pronto para enfrentar gente como Bolsonaro.
Não interessa tirar do poder o pt, para colocar Bolsonaro e sua gente, queremos tirar o pt, para em seu lugar colocar o liberalismo, a democracia e enfrentar o pensamento e a pratica patrimonialista, para enfrentar pensamentos que acreditam que o povo precisa dos militares no poder, acredito que os militares erraram e acertaram, mas não acreditamos no papel politico das forças armadas e sim no processo democrático, republicano e liberal, onde a população participa, trabalha e decide o rumo de seu país, e não queremos tutela de nenhum pensamento autoritário seja de esquerda ou de direita.
Parabéns Reinaldo pela lucidez e pelo repeito ao Olavo, mas você acerta, quando em sua educação diz o que disse e o Olavo que faça sua escolha, continuarei lendo e o criticando, também não pertenço a igreja, portanto Olavo não é o meu papa, e eu não tenho papa, tenho sim, pessoas que eu leio e respeito, gente como o  Olavo, e como o Reinaldo Azevedo .

www.ronaldobragas.blogspot.com.br
Ronaldo Braga

quinta-feira, janeiro 07, 2016

Um texto que precisa ser lido

Oliver: A massa crítica

VLADY OLIVER
Poucos aqui se dão conta de um conceito tão óbvio quanto esse. É física da mais elementar. É a mágica que coloca a gota para cair na chuva, dobra o cotovelo e faz o café ferver, o que fica uma droga. Refiro-me ao excelente comentário do Helio Ribeiro, mas com o intuito de contradizê-lo. Começo afirmando que há duas noções diferentes de roubo ─ uma que sempre existiu e outra que só existe agora, com o PT ─ e a gente acaba confundindo as duas por falta de informação adequada para combatê-las.