quinta-feira, dezembro 31, 2015

Modesto Carvalhosa: A medida provisória do escárnio

Publicado no Estadão
Mais uma vez o corrupto governo do Partido dos Trabalhadores mostra sua capacidade de zombar da cidadania, no seu soberbo desprezo pelos princípios da decência na administração da coisa pública.

segunda-feira, dezembro 28, 2015

TEXTO MARAVILHOSO E ELUCIDATIVO DO BRASIL E DO MUNDO DE HOJE

Sushi 

e descon

tentamento

No ano de crianças mortas trazidas pelas ondas, das degolas no YouTube, de Paris transformada em espetáculo de sadismo, é notável como falsas vítimas tiveram protagonismo. Vivemos uma cultura do agravo.
Neste 2015 que já vai tarde, o sushi servido no refeitório de uma faculdade de elite no Estado de Ohio foi denunciado como racista por se tratar de apropriação cultural indevida. Aulas de ioga para portadores de deficiência física num câmpus do Canadá foram canceladas sob a alegação de que a prática pertence ao hinduísmo e não deve ser apropriada por brancos. Estudantes protestando num câmpus do Estado de Missouri cercaram um aluno fotografando a manifestação, alegando que ele violava o direito ao “espaço seguro” de observação pela mídia. A expressão espaço seguro foi convertida em arma de ataque contra qualquer desconforto associado à identidade.

Lúcia Guimarães
JORNAL ESTAÃO
Para continuar a leitura clique no link em baixo
http://cultura.estadao.com.br/noticias/geral,sushi-e-descontentamento,10000005822

domingo, dezembro 27, 2015

O VENENO E EU



Meu bem,
tudo ta fugindo de mim,
ainda bebo o vinho,
mas o veneno ao meu lado é 

uma espera latente

Meu bem
não tem essa de sofrer por amor 

ou desamor,
somente os dias ganham cores estranhas
ouço Janis Joplin, e ao meu lado um 

silêncio seria a solução

Meu bem,
sua beleza não me cansa
mas na vida não somente te amar 

é tudo
justamente por te mar,
o entorno cobra de mim, de ti e 

de quem é assim como nós, um pouco mais

Meu bem,
sei que sabes sobreviver
teu sorriso abre caminhos, 

nestes espinhos
ainda, não sei por que, bebo vinho.

Meu bem,
não posso falar do que penso,
tragédias ocupam os meus sonhos,
te amar foi minha bela realidade

Meu bem, vá em frente, 

não olhe para trás
não chore a dor dos esquecidos, 

aceite um namorico
viva a força dos vencedores,
o veneno me olha, mas é o vinho 

que eu beberico

Meu bem, o veneno e eu,
eu e o veneno, trocamos juras de amor,
ele em seu silencio, eu em meu destemor
é a ti que eu beijo, que desejo, 

mas é por ele que eu permaneço

Meu bem, não se espante,
veneno, mal, sofrimento
são etapas de uma vida
mas o amor é a vida,  se encante.

Meu bem, não fique triste, 

ainda tenho muitos abrigos
o blues me embala, 

Robert Johnson ainda toca no meu ouvido
por hora, o veneno apenas me olha e
 John Lee Hooker, ainda discute comigo.

Meu bem

pela manhã ainda quero teu sorriso.

Ronaldo Braga


Robert Johnson



Robert Johnson
¨The Complete Recordings
¨ Full Album

quinta-feira, dezembro 24, 2015

A ESQUERDA ROUBA DIREITOS DE SERVIDORES DO ESTADO DA BAHIA

Os socialistas, os comunistas e a esquerda em geral ta em festa na Bahia, a esquerda conseguiu retirar direitos dos trabalhadores que são servidores estaduais. A esquerda goza de prazer, afinal esquerda gosta mesmo é de trabalhador recebendo ração e gritando viva o tirano vermelho.

RONALDO BRAGA
Será Chico Buarque um merda?
OU APENAS UM CARA QUE RECEBE DINHEIRO DO GOVERNO PARA DIVULGAR SUAS OBRAS E NESSE CASO PODEMOS PERGUNTAR:
SERÁ CHICO BUARQUE APENAS UM PUXA SACO?

Essa gente não quer mesmo que eu tire férias, né? Eita ano que não termina! E que não vai terminar. Só em 2016, com o impeachment de Dilma Rousseff. Que virá! Vamos seguir. Será que Chico Buarque é um merda? Eu vou responder neste texto. Fernando Holiday, do Movimento Brasil Livre, se pronuncia num vídeo.
Está a maior onda na Internet por causa de um pequeno bate-boca — muito menos grave do que gritaram os coelhinhos do Bambi — entre Chico Buarque, acompanhado de alguns amigos bêbados, e um grupo de rapazes que decidiu lhe fazer algumas cobranças políticas. Creio que todo mundo saiba já do que falo. Se não souber, segue aqui.
Publicidade
Volto
Será que Chico Buarque é um merda?
Em primeiro lugar, todos sabem, e o arquivo está aí, não endosso que pessoas sejam abordadas em restaurantes, bares ou lojas em razão de sua posição política — a menos que seja uma manifestação de simpatia, como vive acontecendo comigo, o que me deixa muito feliz. Mais de uma vez, já escrevi aqui e disse na rádio Jovem Pan que quem pretende cassar o direito de o adversário se manifestar é o PT.
Em segundo lugar, o tal “merda” que tanto barulho fez precisa ser devidamente qualificado. Chico trata seus interlocutores com evidente menoscabo e, num dado momento, a exemplo de alguns outros pinguços que estão com ele, manda ver: “Você é um merda!” Ao que o outro responde: “Eu queria ouvir da sua boca: ‘Você é um merda’ E quem apoia o PT o que é que é?” E Chico responde: “Um petista!”. E ouve: “É um merda!”.
Embora eu insista que esse tipo de abordagem, ainda que na rua, não me agrada, não há agressividade na fala dos rapazes, mas indignação com as opiniões políticas de um sujeito que usa a fama conquistada na música para fazer política. Logo, se ele colhe reações políticas de seu discurso — não consta que seus interlocutores estivessem ali para contestar os seus trinados —, isso está absolutamente dentro do aceitável, desde que as coisas sejam ditas e expressas de modo civilizado.
E civilizada, convenham, a conversa estava, até que Chico rompe o padrão para, segundo indica o vídeo, chamar o outro de “merda” (1min08s). Sim, ele o fez primeiro.
O filhinho de papai
Em terceiro lugar, destaque-se a arrogância do fidalgo, que começou a vida sendo incensado porque, afinal, era filho de Sérgio Buarque de Holanda, o autor, entre outros, do clássico “Raízes do Brasil”. É nesse livro que Buarque de Holanda, o pai, explica Buarque de Holanda, o filho.
Segundo Sérgio, um dos traços mais característicos da formação do Brasil é o chamado “homem cordial”, aquele que não distingue o espaço público do espaço privado; que usa da condição alcançada ou herdada na esfera privada para impor a sua vontade no espaço pública, de sorte que a lei do compadrio se sobrepõe às instituições.
Vejam lá com que sem-cerimônia Chico exige credenciais de seus interlocutores. Diz um dos jovens, aludindo ao fato de que o cantor, de fato, passa a maior parte do tempo em Paris: “Meu pai também está em Paris. É gostoso Paris, né?” E Chico, com a empáfia do patronato descrito por seu pai: “Rapaz, engraçado, eu não tou te reconhecendo!” Aí diz o outro: “Você é famoso! Eu não sou!” Indagado, o interlocutor revela seu sobrenome, e o Chico do Sérgio o repete, com esgar de desprezo. O filho de Sérgio Buarque exige credenciais de quem fala com ele. O pai diria que o comportamento de seu rebento é a cloaca moral do “homem cordial” de “Raízes do Brasil”
E quer saber a quais “nomes de família” ele dá a graça de suas bobagens. Sai perguntando a cada um. Um barbudo, visivelmente alterado pela consciência etílica, quer saber de “onde” é um dos que conversam com ele. Ao ouvir um “não interessa”, o pançudo grita: “Interessa! De onde cê é?”
Há outras coisas até divertidas no vídeo. Quando um dos rapazes lembra que Chico mora a maior parte do tempo em Paris, o que é fato, ele diz, em tom de acusação, que o outro é leitor da VEJA.  Digamos que seja. Chico certamente gosta da imprensa de nariz marrom que incensa tudo o que ele produz e escreve, preste ou não.
Nota: ele já fez músicas de alta qualidade, sim. Seus livros, no entanto, são um lixo subliterário, e ele só parou de ganhar Jabutis em penca depois que apontei a patuscada que fazia dele um vencedor que nem precisa disputar. Ele me atacou num artigo. Demonstrei por que seus livros são ruins. Ele enfiou o rabo entre as pernas. Fidalgo! Será que Chico é um merda?
Irresponsável
Chico Buarque, incensado pela imprensa também por suas ignorâncias, é um homem notavelmente autoritário. Sai por aí, se preciso, a espalhar as mentiras mais asquerosas em nome da ideologia. E, como se nota, não gosta de ser cobrado. Escrevi aqui, no dia 16 de setembro, um http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/as-mentiras-asquerosas-de-stedile-e-chico-buarque/ sobre um vídeo que ele gravou com João Pedro Stedile, o chefão do MST, em que ambos sustentam haver um plano de privatização da Petrobras. Vejam:
Fatos:
– Inexiste plano para privatizar a Petrobras — infelizmente!;
– o projeto a que se referem apenas permite que, caso a Petrobras não possa ser sócia de campos de exploração do pré-sal, abra mão dessa primazia;
– o projeto é vital para o pré-sal porque, pela lei atual, se a Petrobras não puder arcar com os 30% que lhe cabe na sociedade, nada se faz.
Mas Stedile e Chico mentem a respeito com o desassombro de que só o esquerdismo e a má-fé são capazes. Será que Chico é um merda?
Trono da empulhação
Chico Buarque quer defender as causas mais estúpidas, violentas e antipopulares, mas acha um absurdo que possa ser cobrado por isso — o que é repetido bovinamente por boa parte da imprensa. Vejam as barbaridades praticadas nas escolas públicas de São Paulo. Por mais que se possa censurar a Secretaria de Educação por não ter sabido expor direito as vantagens da reestruturação, esta era e é necessária. É mentira, pra começo de conversa, que haverá “fechamento” de escolas.
Não obstante, um grupo de 18 ignorantes disfarçados de artistas, liderados por Chico Buarque, produziu um vídeo hediondo, com uma letra idiota, sobre uma causa estúpida. E tudo em defesa das invasões. O autor da enormidade é um tal Dani Black, capaz de escrever barbaridades como:
“A vida deu os muitos anos de estrutura do humano
À procura do que Deus não respondeu
(…)
Ninguém tira o trono do estudar”.
Procurem no arquivo deste blog. Tenho um “IPI” infalível. O que é o IPI? Índice de Picaretagem Intelectual. Sei que estou diante de um picareta sempre que ele transforma verbo em substantivo, um processo que a gramática chama de “derivação imprópria”. Basta que alguém diga algo como “o estudar”, “o brincar”, “o fazer”, “o reivindicar”, e eu logo me desinteresso e olho para o vazio. É que não suporto “o empulhar”.
Sem contar que Dani Black — quem é esse, caramba!? — acha que a busca de Deus nada produziu de positivo para a cultura, talvez nem a “Suma Teológica”… E o tal Dani e os outros 17 imbecis estão certos de que falam em nome da cultura e da educação.
Como prosador, Chico é uma lástima, mas ele já soube produzir boas letras, até ser derrotado por uma “mulher sem orifício” — seja lá o que isso signifique e que não possa eventualmente ser remediado com Citrato de Sildenafila, Tadalafila, chá de catuaba ou reza braba. É claro que o autor da bela música “Soneto” é capaz de reconhecer uma letra ruim — embora seu soneto tenha se atrapalhado um pouco no ritmo, com a irregularidade das tônicas: os versos ora são sáficos, ora são heroicos, ora não são nada. Mas Chico é um letrista, não um poeta, como dizem.
Prepotentes
O dado mais encantador dos nossos artistas “progressistas” é sua alastrante ignorância. Acham que podem se posicionar sobre qualquer assunto que diga respeito à sociedade, expelir regras, posicionar-se, entrar na rinha política, mas se negam a ser cobrados. Quando isso acontece, agem como Chico Buarque: “Seu merda!”  Ou, pior ainda do que isso, apelam ao famoso “Sabem com quem está falando?” Ou não foi isso o que Chico Fez, mas de modo espelhado: “Quero saber com quem estou falando…”?
Todos sabem que o movimento de invasão das escolas nada tinha a ver com estudantes. Trata-se de uma inciativa liderada pelo PT — particularmente por uma de suas milícias: o MTST, comandada por Guilherme Boulos — , com um claro propósito político, partidário e ideológico. Será que Chico Buarque é um merda?
Abaixo, publico uma edição que o Movimento Brasil Livre fez do vídeo dos ignorantes engajados, com comentário de Fernando Holiday, um dos coordenadores. Volto depois.
Encerro
Holiday chama de “playboys” os que abordaram Chico. É o único pequeno trecho de sua abordagem de que discordo. Nem sei se são. E se forem? Quando “playboys” se opõem à roubalheira, seja a do PT, seja de qualquer outro, acho isso positivo. Prefiro esses aos playboys e, sobretudo, “playmen” que passaram a puxar o saco do PT para ter o privilégio do Bolsa Juros, do Bolsa Subsídio, do Bolsa Desoneração, do Bolsa BNDES, do Bolsa Rico…
Chico Buarque, que jamais fez uma mísera crítica a ditaduras de esquerda, tornou-se uma das faces visíveis da justificação de um governo criminoso. Do alto de sua sapiência, diz que, se seus interlocutores acham o PT bandido, ele, Chico, acha “o PSDB bandido”. Tem o direito de achar. Mas também tem o dever de apontar onde está ou esteve o banditismo. Não duvido que haja ou tenha havido bandidos no PSDB e em qualquer legenda. A questão está em definir quando a bandidagem se torna um sistema de governo.
É possível que ainda volte ao assunto. Dito isso tudo, acho que você já tem mais elementos para responder: será que Chico Buarque é um merda?
Ele deixou claro, de modo arrogante, que nem sabia com quem estava falando. Mas nós sabemos muito bem com quem estamos falando.
Ademais, o mais laureado, nem importa se justa ou injustamente, dos ditos “artistas brasileiros” deveria é se envergonhar de apelar a coisas como a Lei Rouanet para divulgar a sua obra. O subsídio — porque é disso que se trata — à obra de Chico, ora vejam, poderia virar remédio ou leitos nos hospitais do Rio — não na Zona Sul, onde ele solta seus trinados.
Chico, em suma, é o homem que seu pai lastimou em “Raízes do Brasil”.
Será que Chico Buarque é um merda?

sexta-feira, dezembro 18, 2015

STF decide de costas para o país


Augusto Nunes e Marco Antonio Villa

quinta-feira, dezembro 17, 2015

Reynaldo Rocha: Lula gastou a sorte

REYNALDO ROCHA
Sorte é coisa que se gasta, dizem nos sertões de Minas. Lula é um bom exemplo dessa lição. Quem o ilustre leitor conhece que enricou sem herdar fortuna e sem trabalhar? Quantos palestrantes o nobre e atento leitor conhece que tenham como especialidade o autoelogio? E ter viuvinhas reservadas para atendimento quando tomava uns goles de 51 no sindicato que transformou em anexo da casa do vale-tudo? E quantos executivos trabalham com uma secretária monoglota, sem formação acadêmica e especializada em fazer companhia ao chefe em aviões e hotéis, sem pagar nada e ainda recebendo algum por conta da dita amizade?

terça-feira, dezembro 15, 2015


Bumlai amigo do Lula abre o bico e tudo fica mais claro, segundo o seu depoimento (depoimento de Bumlai, amigo de Lula) o PT não é um partido e sim uma organização criminosa
Que coisa, né? Em 2012, Marcos Valério — sim, ele mesmo! — afirmou, em depoimento ao Ministério Público, que, em 2004, o PT teria pagado R$ 6 milhões ao empresário Ronan Maria Pinto e outros, que ameaçavam ligar o assassinato do prefeito Celso Daniel, ocorrido em 2002, ao esquema de propina na Prefeitura de Santo André, que azeitava a máquina partidária.
Lula e Gilberto Carvalho estariam sendo chantageados pessoalmente por Ronan. Em vez de chamar a polícia, a dupla teria preferido pagar o preço. Em tempo: Ronan nega qualquer envolvimento com o caso. Lula e Carvalho também. Adiante. Segundo Valério disse então, ele foi procurado pelos petistas para dar aos achacadores o dinheiro que eles buscavam, mas se recusou: “Nisso aí, eu não me meto”, teria dito o operador do mensalão, em um encontro com Sílvio Pereira, então secretário-geral do PT, e Ronan.
A história escabrosa contada por Valério, condenado a 40 anos de prisão, ficou em suspenso. Muito bem! Em depoimento prestado à Polícia Federal nesta segunda, José Carlos Bumlai, o amigão de Lula, aquele que tinha livre acesso ao Palácio do Planalto, resolveu confessar ao menos parte do que sabe. Desmentindo versões anteriores, o empresário referenda parte da delação de um diretor do grupo Schahin e revela:
1: o empréstimo que ele, Bumlai, contraiu no banco Schahin era mesmo para o PT;
2: o valor total, conforme afirma o Ministério Público, era de R$ 12 milhões;
3: o dinheiro foi inteiramente revertido para o PT por intermédio do grupo Bertin;
4: R$ 6 milhões desse total teriam ido para o PT de Santo André, destinado a pagar chantagistas;
5: os outros R$ 6 milhões teriam ido para o PT de Campinas;
6: o empréstimo nunca foi pago;
7: Bumlai confirma que esteve com Delúbio Soares para tratar do empréstimo e que depois debateu o assunto com João Vaccari Neto.
PT de Campinas? Coincidência ou não, é a cidade em que outro ilustre petista foi assassinado, o também prefeito Toninho do PT, morto em circunstâncias igualmente estranhas quatro meses antes de Celso Daniel. Também a sua família, a exemplo da do prefeito de Santo André, jamais se conformou com a tese do crime comum.
Segundo diretores do grupo Schahin, o empréstimo, que, em 2009, já estava em R$ 53,5 milhões foi simplesmente esquecido quando Bumlai e Lula atuaram para que o grupo fosse o operador do navio-sonda Vitória 10.000, da Petrobras — um contrato, então, de US$ 1,6 bilhão. Vale dizer: quem pagou o empréstimo foi a estatal brasileira.
Essa lambança toda, antes ainda da confissão de Bumlai, rende ao empresário e a mais oito pessoas denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal. Por incrível que pareça, contra Lula, não se pediu nem abertura de inquérito.
Ah, sim: Fernando Baiano, outro que teve delação homologada pela Justiça, diz que José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras, também atuou para que o grupo Schahin conseguisse operar a sonda. Gabrielli, o que é espantoso, não é nem sequer um investigado da operação Lava-Jato.
Então vamos ver
Bumlai jurava de pés juntos que houvesse sido laranja do empréstimo de R$ 12 milhões do banco Schahin ao PT. Agora ele confessa: foi. Bumlai jurava de pés juntos que havia pagado o empréstimo com embriões e esperma de boi. Agora, ele confessa: estava mentindo. Bumlai negava de pés juntos que o grupo Bertin tivesse servido de intermediário na transferência do dinheiro para o PT. Agora ele confessa: foi, sim! Bumlai jurava de pés juntos que tivesse ouvido falar da operação para pagar empresários que estariam extorquindo Lula e Gilberto Carvalho. Agora, ele diz ter ouvido falar.
Bumlai ainda nega de pés juntos que tenha interferido para a contratação do navio-sonda. O seu histórico de negativas dá o que pensar, não é mesmo?
Atenção! Bumlai fez uma confissão espontânea, não uma delação premiada. Não precisa assinar compromisso nenhum se comprometendo a dizer a verdade. Suas palavras parecem ter sido medidas.
Se vocês notarem bem, ele confirma os aspectos mais escabrosos do rolo, mas tangencia quando o assunto é Lula. Fica parecendo que há um aviso parado no ar: “Se eu e minha família nos lascarmos, a coisa não vai ficar boa…”. Na confissão espontânea, o investigado fica livre para ir se lembrando de coisas…
Vamos ser claros: com o que Bumlai já confessou — e ele não fez delação premiada —, já é possível caracterizar não um partido, mas uma organização criminosa.

Reinaldo Azevedo

sábado, dezembro 12, 2015

MEUS INIMIGOS ESTÃO NO PODER

Alô Brasil, alô Bahia, domingo dia 13 de dezembro é dia de alegria, dia de luta, de democracia e de ordem, é dia de gente honesta e trabalhadeira, que não quebra cesto de lixo, nem incendeia as ruas, nem joga pedra na policia, apenas mostra que não aceita mais o nove dedos mentindo e em sua arrogância se colocar como dono do povo, domingo é dia de família, nova ou velha, família com dois pais, com duas mães, com um pai e uma mãe, domingo é dia de avisar a Dilma e ao Cunha que não precisamos deles pra nada, que precisamos deles fora dos poderes da república e do congresso. Domingo é dia da ressurreição do país, é dia de sair das cinzas, sair do vermelho, sair do apadrinhamento e ir direto para a meritocracia, domingo é dia de respirar novos ares, de um fora Dilma a todo pulmão, a todo vapor, com paz, com garra, com amor e com luta, nossos inimigos estão no poder.

Alô Salvador, terra da música, terra da batalha, terra da libertação do Brasil contra os Lusitanos, e agora terra da luta contra a prepotência, contra a mentira, contra a falácia do belo discurso, porém medíocre dos vermelhos, que promete o céu e entrega o inferno ao vivo e a  cores, domingo é o dia D da retomada do orgulho nacional, pois nem somente Gays tem orgulho, mas o Brasil tem orgulho de não suportar mais o PT, de ter abertos os olhos para os crimes, as mentiras e os desmandos dos comunistas disfarçados de doutores, de professores universitários, de falsos pensadores, de gente com título ou não, mas que na verdade não passam de mamadores das tetas do erário público: republica neles, democracia neles, povo neles.

Domingo é dia de 70% da população ter a sua voz ouvida e ter o canal popular que são as ruas, agora ocupadas pelos seus donos, e não por franjas partidárias, e não por gente corrupta, compradas e mentirosas, que usam cargos públicos, escolas públicas para escoar seus esgotos mentais e empurrar goela abaixo dos jovens suas ideologias doentes e assassinas, domingo é dia de festa e vigília,.

Vamos de mãos dadas, de corações abertos, de olhos abertos, e com a mente aberta, dizer:
FORA DILMA
FORA CUNHA
FORA RENAN
CADEIA PARA O LULA.

http://ronaldobragas.blogspot.com.br/
Ronaldo Braga



quarta-feira, dezembro 09, 2015

A HORA DOS PICARETAS COM REINALDO AZEVEDO


Neste 13 de dezembro, estarão de volta às praças e avenidas do país os milhões de indignados que expressam a vontade do país que presta. É hora de sair de casa e engrossar a multidão inconformada. O fim da era da canalhice, convém insistir, começa pelo impeachment de Dilma Rousseff. E a presidente só será afastada do cargo que desonrou pela voz rouca das ruas.
No dia 16, os devotos de ditaduras bolivarianas voltarão a investir em tubaína, gorjeta e mortadela para que manifestações de apoio ao governo desgovernado não pareçam procissão de vilarejo. Devem ser desmoralizados já no domingo pela demonstração de força da resistência democrática, que será acompanhada com lupa por deputados, senadores e ministros do Supremo. É preciso mostrar-lhes que o Brasil decente exige o imediato despejo dos farsantes no poder.
Confira o local e o horário de início das manifestações convocadas pelo Vem pra Rua e pelo Movimento Brasil Livre:
BAHIA
- Salvador –  Farol da Barra ─ 10h
- Feira de Santana – Avenida Getúlio Vargas ─ 10h
- Vitória da Conquista – Praça Guadalajara ─ 10h30

segunda-feira, dezembro 07, 2015

Reinaldo Azevedo mandando a mentira correr


Reinaldo Azevedo desnuda a mentira com diploma de doutores pagos pra defender os inimigos do povo. Viva Reinaldo Azevedo. ObrigadopReinaldo Azevedo, faço minhas suas palavras



E a Associação Brasileira de Ciência Política segue de joelhos, fazendo o trabalho de sopro para o governo federal, mas se fingindo de sábia, independente e corajosa. A Associação Brasileira de Ciência Política segue exibindo a grande coragem de servir de montaria ao poder de turno. A Associação Brasileira de Ciência Política segue expondo a sua ignorância sábia em favor do mensalão, dos aloprados, do petrolão, do assalto organizado ao estado brasileiro.
Escrevi aqui, no dia 4 deste mês, um post contra uma nota pusilânime emitida por tal associação. Os valentinhos resolveram publicar em seu site uma nota me atacando, nos termos que seguem abaixo, em vermelho. Respondo em negrito.
Nota em resposta a Reinaldo Azevedo
A Associação Brasileira de Ciência Política teve a sua nota publicada em 3 de dezembro – uma nota que demonstra preocupação e perplexidade com os desdobramentos da democracia brasileira – achincalhada pelo blogueiro Reinaldo Azevedo.
Não foi achincalhada. A nota foi criticada. Mas os doutores dizem a verdade em parte: eles realmente se mostram perplexos com os desdobramentos da democracia brasileira. Eles estão prontos para defender uma ditadura, em que não existem nem lei nem Constituição.
Este foi capaz, apesar das poucas linhas que escreveu, de demonstrar a sua mais completa ignorância na área. Ele confunde aquilo que não é possível confundir: a mera opinião desinformada ou mal formada que ele pratica com a discussão criteriosa julgada pelos pares e o conhecimento científico publicado no Brasil e no exterior que ele confessa não ter a menor ideia do que seja.
Desafio qualquer um desses bananas para um debate público. Aliás, tenho um programa de rádio. Vamos lá. Vamos expor a milhões de brasileiros os argumentos. Quero que o melhor deles demonstre:
a: que o impeachment não está previsto na Constituição;
b: que as pedaladas fiscais e a edição de decretos envolvendo gastos sem a autorização do Congresso não ferem a Lei 1.079.
Se o melhor deles — há um melhor, suponho — conseguir fazer isso, enfio o rabo entre as pernas e dou o braço a torcer. Como jamais conseguirão, então fogem do debate, fogem do argumento e se escondem numa nota malcriada e vagabunda.
Vamos ao debate. Escalem o melhor de vocês aí. Vamos falar também um pouco de teoria, de história e de jurisprudência. Tachar quem discorda da gente de “ignorante” é coisa fácil, de que qualquer linguarudo é capaz. Prová-lo já é coisa mais difícil.
Vale a pena responder a algumas das suas considerações. Em primeiro lugar, o blogueiro mostra a sua mais absoluta ignorância em relação à organização do conhecimento científico. A sua ideia de que se produz ciência individualmente revela o desconhecimento sobre o processo de produção científica em todas as áreas.
Em primeiro lugar, vocês não produzem ciência, não produzem nada! Uma coisa é acúmulo de conhecimentos, é organização de especialistas em defesa da ciência e do aprimoramento científico. Outra, diferente, é uma corporação de ofício mixuruca como essa tal associação, que existe para emitir boletins ideológicos.
O blogueiro se pergunta candidamente: “a propósito: por que um cientista político precisa pertencer a uma corporação de ofício?”. Associações acadêmicas são a forma por excelência da produção do conhecimento científico. A Associação Americana de Ciência Política tem mais de 100 anos. A Francesa e a Britânica quase 70 anos. A ABCP tem 30 anos. Congrega 892 associados e 16 áreas temáticas, já organizou 9 encontros desde 1996, edita e publica, desde 2007, a Brazilian Political Science Review. Todos os anos ou de dois em dois anos as associações científicas sérias realizam encontros e uma grande parte dos bons artigos da ciência política brasileira e internacional tem surgido a partir daí. Nesses últimos 30 anos, a ABCP tem cumprido seu principal papel institucional: contribuir com a reflexão sobre a construção democrática e sua defesa.
Cadê essa contribuição?
Onde estava a associação durante o mensalão? Produziu o quê?
Onde estava a associação durante o petrolão? Produziu o quê?
Onde estava a associação durante os aloprados? Produziu o quê?
Onde estava a associação durante o tempo em que Dilma destruía os fundamentos da economia? Produziu o quê?
Ilustres desconhecidos do nariz marrom me chamam de “blogueiro” no intuito de me ofender, como a ressaltar a minha condição menor. Blogueiro, sim! Blogueiro também! Com muita honra! Com uma vasta produção que pode ser testada pela realidade porque exposta em arquivo. E o que vocês produzem? Aguenta ser confrontado com a realidade?
E vocês? Juntaram essa gente toda para produzir o quê? Genuflexão altiva? Blogueiro, sim! Mas pago as minhas contas. Não dependo de verba pública como a maioria de vocês. Para, como paga, produzir falso conhecimento contra o interesse a população.
Em segundo lugar, em relação à avaliação dos indivíduos membros da Associação, é claro que não cabe aqui expor o curriculum de cada um dos associados da ABCP. Mas vale a pena mencionar que os membros da diretoria da ABCP publicam em algumas das melhores editoras universitárias do mundo, como Princeton, Oxford e Johns Hopkins. Que um dos seus membros ganhou o prêmio de melhor livro do ano da Associação Americana de Ciência Política no ano passado, que alguns são membros de conselhos de fundações internacionais importantes e que um deles já trabalhou na Unesco em Paris. Quase todos tiveram os seus doutorados obtidos nas melhores universidades do mundo e muitos foram professores visitantes nos Estados Unidos, em Portugal, na França, no Reino Unido e no México. Claro que nada disso interessa ao blogueiro que acha que apenas ouvir falar de alguém constitui critério de legitimação de sua relevância.
É claro que não vale expor currículos tão soberbos quando, em grupo, atacando como as hienas, resolvem colocar, então tanta sapiência a serviço do poder de turno.
No fim das contas, eis aí a que foi relegada a esquerda acadêmica brasileira: acha que pode expor seus títulos e suas miseráveis conquistas a serviço de uma quadrilha que assaltou o estado brasileiro.
Refaço o meu convite aos senhores estrelados. Façam aí um concurso interno para escolher o melhor e vamos debater. E quero saber se os senhores leram a Lei 1.079. Eu quero saber se os senhores leram a Constituição. Eu quero saber o que os senhores pensam da aplicação seletiva das leis.
Sair da obscuridade silenciosa em que se encontravam, enquanto o país era cotidianamente assaltado, para vir defender o statu quo no justo momento em que a sociedade brasileira reage é coisa de covardes, de vagabundos intelectuais, de pançudos que se escondem atrás de títulos e de grupelhos acadêmicos que se confundem com valhacoutos.
Por meio desta nota, a ABCP vem reafirmar sua convicção da importância de realizar um debate sério de ideias em torno da proposta do impeachment que pode colocar em xeque a estabilidade das instituições democráticas no país. Explicar para o país de forma serena os riscos para a estabilidade democrática de um processo de impeachment movido por interesses pessoais de um político acusado de corrupção é de central importância.
Realizar um debate sério? Bando de sacripantas! Para vocês, sérios são todos aqueles que concordam com suas teses, e pouco sérios, os que as combatem.
Afirmar que uma proposta de impeachment “pode colocar em xeque a estabilidade das instituições democráticas” demonstra o calibre intelectual de seus autores.
O mínimo que se pode esperar de um intelectual é que tenha compromisso com a história. Para fazer tal afirmação, seria preciso que uma série histórica de eventos semelhantes permitisse levar a tal conclusão. Isso seria ciência. Isso seria método.
Mas não! Os vigaristas ignoram os fatos. O Brasil teve impeachment uma vez. E o Brasil só conta na ordem do mundo em razão daquele evento, que está na raiz do Plano Real — Plano Real sem o qual o próprio governo Lula teria sido impossível.
No auge da estupidez, a nota trata a denúncia contra Dilma como se fosse da autoria de Eduardo Cunha, confundindo o homem que ocupa um cargo com a sua função institucional.
Esse bando de gente que vem exibir seus currículos para tentar me intimidar não é capaz de distinguir um indivíduo da instituição. Juntam-se numa associação de cientistas políticos para enganar, para trapacear, para, em suma, mentir.
Espero que, quando juntos, esses luminares ao menos brinquem de macaquinhos. O que cada um deles pode encontrar de mais interessante no outro, definitivamente, não está no mundo das ideias, da teoria, da ciência.
Sabujos!
Medíocres!
Mentirosos!

A PAZ PAVIMENTA A AMERICA LATINA

A Argentina, e a Venezuela, derrotaram o mal com cara de samaritanos e agora o Brasil se prepara para mandar a maldita embora. 
É a paz que busca seu caminho, onde o mérito se faça e possa ser a base para a divisão dos nacos de poderes e boa vida, é o caminho que vamos seguir com a derrubada da mentira encarnada na Dilma e no PT, a conversa mole de todos iguais, mas que na pratica leva a maioria para o sub emprego e a fome crônica, pois quem ganha mil reais ou menos por mês no Brasil, vive numa fome crônica, comendo alimentos que não alimentam, mas que enche a barriga e engorda o corpo, mantendo o sujeito em pé, com uma eterna fome crônica, enquanto os chefes tomam vinho se dez mil a garrafa.
O povo quer fora do poder estes partidos que mentem e vivem da mentira, no Brasil 68% querem a derrubada da mentira do poder, e a mentira é a Dilma, portanto é o povo que quer que Dilma saia, e não as elites, ou o Brasil tem essa elite toda?

A felicidade agora é a derrubada do PT e das esquerdas e um novo caminho, árduo sim, mas que com fé e força vamos seguir em frente e vencer, apesar dos jornalistas comprados, dos professores mestres e doutores com seus gigantescos rabos presos ao dinheiro fácil da corrupção e destruindo o conhecimento em nome de uma causa que recria o absolutismo, instaura a fome cronica e o torna a mulher adulta e o homem adulto, crianças, diante do poder central comunista, ou petista, ou esquerdista.
Estamos na luta e vamos vencer. A esquerda não nos intimida, nascemos para morrer e para viver com dignidade e não para baixar a cabeça para aqueles que se acham um Stalin.
Queremos vida e a esquerda é MORTE.

http://ronaldobragas.blogspot.com.br/
Ronaldo Braga


sexta-feira, dezembro 04, 2015

1 Minuto com Augusto Nunes: Impeachment será decretado pela voz das ruas

Bem vindo impeachment

Ufa! Até que demorou, mas o Brasil encontra um caminho para seu futuro, sem demagogia e colocando os pingos nos is. o impeachment, nos coloca de volta à vida e a uma possível saúde política, Impeachment não é golpe, é a salvação do Brasil, neste momento a Dilma tem que sair e logo, ela nos leva para o buraco, portanto fora Dilma
Senhores leitores esta é a hora do povo mostrar o que quer, e ir para as ruas, dizer o que pensa, pois o PT e seu bando, financiados com o dinheiro desviado, vão se mobilizar, vão tentar criar confusão, mas o povo indo para rua em um número igual ao número exato dos que querem a saída desta senhora impostora do poder, teremos uma demonstração de nossa força real, pois depender somente da força política partidária do congresso é jogar fora o sonho de um Brasil melhor.
Eu conclamo a mim e a todos os que querem o PT longe do nosso cofre, vamos às ruas e vamos gritar:
 IMPEACHMENT SIM
fora lula
fora pt
fora Dilma
justiça para os bandidos.
Cadeia para o chefe da máfia partidária.
E chega de tarado, seja  vermelho ou não, chega desta conversa mole de esquerdista lutar pelo pobre, esquerdista é o pior inimigo que um pobre pode ter.
Abraços a todos e a hora é de luta e de cabeça fria
Rua sim, a rua é o nosso campo de batalha, é na rua que podemos mostrar ao Brasil e ao mundo que o Brasil não suporta mais ver a cara de Dilma e de Lula e de qualquer petista, que roubaram o nosso sonho, o nosso futuiro e com uma cara limpa acha que somos os bobos perfeitos.

http://ronaldobragas.blogspot.com.br/
R.B.Santana

TARADOS MORAIS DAS MAIS DIVERSAS VERTENTES SAEM CONTRA O IMPEACHMENT PARA COMBATER A "DIREITA"

Vigaristas intelectuais das mais diversas vertentes resolveram vir a 
público para denunciar aquele que seria um grande “complô da 
direita” contra o governo Dilma. É mesmo? Onde está a direita? 
Ela vive de quê? Apresentem-me, por favor, a direita.
Ela vive de juros estratosféricos?
Ela vive de financiar vagabundos 
para conseguir obras púbicas?
Ela vive de juros subsidiados do BNDES?
Digam-me, por favor, onde está a direita.
Até uma tal Associação Brasileira de Ciência Política, 
com esse nome ridiculamente pomposo, resolveu emitir 
uma nota contra o impeachment. Entrei no site do grupo. 
Sabem quem são os diretores? Eu conto: Leonardo 
Avritzer, Carlos R. S. Milani, Maria do Socorro Braga, 
Silvana Krause, Renato Perissinotto, Rebecca Albers, 
Ricardo Borges, Celso Vaz e Rachel Meneguello.
Boa tarde a todos! Nunca ouvi falar! Leio os bons 
da área. Nunca foram citados. Essa gente não existe. 
Monta uma ridícula associação de “ciência política” 
e sai expelindo regras por aí. A propósito: por 
que um cientista político precisa pertencer a uma 
corporação de ofício? Um trabalho intelectual de 
pensamento e análise, que é necessariamente 
individual, é exercido em sessões coletivas?
Quando vocês se reúnem, brincam de quê? 
de “Macaquinhos”??? Ou é masturbação coletiva?
Cadê a direita?
Se ela vive de juros, então está com o PT. 
Está com Dilma. Se ela vive de obras públicas, 
então está com o PT. Está com Dilma.
Se ela vive de subsídos do BNDES, então está 
com o PT. Está com Dilma.
É um lixo moral e intelectual acusar a suposta 
ilegitimidade do impeachment porque ele 
partiria de Eduardo Cunha. Ora, este é apenas 
o presidente da Câmara. A ação não é dele. Os 
peticionários são outros. Aliás, os peticionários 
são milhões de brasileiros.
É um vexame sem-par que coroas pançudos, 
que estariam obrigados pela vida a ensinar 
algumas coisas aos jovens, recebam de 
Kim Kataguiri, do MBL, de 19 anos, uma 
lição de funcionamento das instituições.
Em artigo na Folha de hoje, ele escreve:
“Parte da imprensa quer fazer parecer – e 
isso ficou muito claro pelas capas dos jornais 
desta quinta (3) – que o processo de 
impeachment é uma batalha entre o bem 
e o mal. O bem, é claro, é a presidente Dilma.
Segundo a narrativa do adesismo, o 
impeachment é uma mera investida 
revanchista de Eduardo Cunha, que não 
conseguiu o apoio do PT para se salvar no 
Conselho de Ética da Câmara.
(…)
Depois de três gigantescas manifestações, 
uma caminhada simbólica de São Paulo 
até Brasília e um acampamento que 
permaneceu por mais de um mês 
em frente ao Congresso Nacional, o 
impeachment tornou-se pauta para a 
classe política. Não havia mais como 
ignorá-lo. O barulho do Brasil 
perfurara a bolha que isola Brasília.
Ainda assim, o discurso da imprensa não era 
o de que a população brasileira havia, pela 
primeira vez em muito tempo, pautado o 
debate do Congresso. Construíram uma 
narrativa na qual a legitimidade de 
qualquer pedido de impeachment provinha 
de quem ocupa a presidência da Câmara.
“Ok, vocês estão pedindo o impeachment 
da Dilma. Mas e o Cunha? Ele pode 
acolher? Não tira a legitimidade do 
pedido?” Parece que os jornalistas 
esqueceram o fato de que o presidente 
da Câmara dos Deputados é o único que 
pode acolher tal pedido contra a presidente 
Dilma.
(…)
Canalhice intelectual
Mas o auge da canalhice intelectual está em cair 
de joelhos diante de Dilma, mas fazê-lo criticamente: 
“Ah, eu deploro esse governo, mas impeachment de 
Cunha, não”.
Ora, se o impeachment pertencesse ao presidente 
da Câmara, Dilma estaria vivendo dias de glória.
Até os bispos da Igreja Católica, para não variar, 
resolveram dizer sandices. A Comissão Brasileira 
Justiça e Paz, da Conferência Nacional dos Bispos 
do Brasil, a CNBB, questiona os motivos que 
levaram Cunha a aceitar o pedido de abertura 
do processo de impeachment de Dilma Rousseff.
A comissão da CNBB diz que a atitude do presidente da 
Câmara “carece de subsídios que regulem a matéria” e 
que a sociedade está sendo levada a crer que “há 
motivação de ordem estritamente embasada no exercício 
da política voltada para interesses contrários ao 
bem comum”. Para a conferência, “o impedimento 
de um presidente da República ameaça ditames 
democráticos, conquistados a duras penas”. A 
comissão diz ainda que “é preciso caminhar no 
sentido da união nacional, sem quaisquer 
partidarismos, a fim de que possamos construir 
um desenvolvimento justo e sustentável”.
A CNBB precisa melhorar a reza e a política. 
Não é mero acaso o óbvio declínio da Igreja Católica 
no Brasil. Como a gente vê, quando uns não estão 
fazendo coisas nefandas com crianças na sacristia, 
outros tantos estão a violar o direito de milhões 
de ter um governo que respeite as leis. Que estes 
também vão brincar de “Macaquinhos” e deixem 
o Brasil em paz, buscando Justiça.
No fim das contas, o que temos aí é a 
convergência das mais variadas correntes de 
esquerda em defesa de seus aliados intelectuais.
Isso ainda não é o pior que esse pensamento pode 
produzir, não. É apenas a versão atual e local de 
uma deformação moral bem mais antiga.
Durante décadas, intelectuais de esquerda do 
mundo inteiro fecharam os olhos para os crimes 
do stalinismo e do maoismo na União Soviética e 
na China, respectivamente. Achavam que denunciá-los 
seria tirar do povo a esperança na revolução. Enquanto 
isso, Stálin matava 35 milhões de pobres, e Mao, 75 milhões.
Mas os ditos intelectuais não davam o braço a torcer. 
Afinal, tinham de combater “a direita”, “os reacionários” 
e “o imperialismo”.
Bando de delinquentes!

Reinaldo Azevedo