terça-feira, julho 23, 2013

Sobrava faltas, 
e o olhar era de medo e esperanças.
O gesto vazio quebrava barreiras nos ventos.
Sobrava perdas, 
e o andar era demente.
O nada percorria e corroía toda a mente.
Sobrava sobras,
e um tédio iluminava a noite.
A inveja emprestava uma harmonia resistente.

ronaldo braga

Nenhum comentário: