sábado, junho 15, 2013

Minha poesia queria ser uma cruel bala perdida,
minha poesia inútil reclama perdas aos prantos,
minha poesia vidro espatifa brumas em beijos,
minha poesia fogo corta pulsos em  verso
minha poesia fogo toda pedra arremessa,
minha poesia amarga risos em esparmos gigantes.
Minha poesia é violenta.
ronaldo braga

Nenhum comentário: