quarta-feira, abril 24, 2013

palavras que Dformam

"Quando só aceitamos as coisas boas e esquecemos da existência das coisas más, somos encontrados por toda sorte de desgraças que nos lembra que a vida é o saber desfrutar do bom e enfrentar cara a cara as dificuldades e com gravidade supera-las"


ronaldo braga

palavras que deformam 2

Festejo ser sombras de cacos e me sonho vida humana,
eu, humanamente inumano, vivendo em um eterno e sem fim  deserto, na bela e opaca humanidade.

ronaldo braga

letras que deformam





Fortes somos sim, mas unicamente para enfrentar e derrotar todos os projetos felizes.





A musica ultrapassa a medida do meu nojo e penetra numa zona azul do meu ser me permitindo estar no interior de minha tristeza quando triste, quanto me presenteia a materialização de toda minha excitação e assim ainda posso ser malevolente em nas horas de silencio e na mais profunda preguiça que só o aceitar nos oferece




A ordem é sorrir, ser bonito e quando não for possível mais mentir um belo tiro no cérebro deixa tudo no seu devido lugar.


Uma pedra que apanha das águas não chora se molda



Era noite em todos os risos soltos naquelas caras feias, era noite nas noites molhadas de sangue dor



A míuda melodia cresce a chuva dentro de mim


O deserto cresce na tórrida vida humana


Então ele olhou o acidente e alegre viu dois feridos e tristemente percebeu que não tinha mortos.

ronaldo braga

domingo, abril 07, 2013

Triste mesmo é essa plateia que tem o desejo certo para como devem ser os artistas, como deve ser o humor dos novos humoristas, quanto triste isso. Suicidio meu caro é a saída. 
Eu adoro até mesmo o que não adoro. por isso vivo. viver é fazer acordo com deus e o diabo e se armar contra os dois.
Viver meu caro é trair e não discordar.

ronaldo braga

quinta-feira, abril 04, 2013

MEUS EUS

Eu ainda não tenho um eu, eu ainda vivo numa curva de eus por entre atalhos bruscos, e ainda em sombras busco um jeito e meio sem jeito carrego brisas, esqueço chuvas e nos olhos dos meus olhos encontro um qualquer inicio que pode ser indicio de como num espelho me encontrar bêbado.

VAQUEIROS DE GENTES

A única solidão que me assusta é acompanhado, a multidão me deixa só, é para mim tenebroso ouvir a voz sem freios de uma multidão escrava que junta se acha livre, mas que repete frases dos donos, dos vaqueiros de gentes, dos que soletram esperança e sempre prometem um futuro melhor. O presente, estes vaqueiros guardam pra SI. 
Aprendi que vozes só a do coro ou do coral, a do povo é sempre domada, é sempre empurrada, é sempre do ódio mesmo em seu alto teor de festa.
Aprendi que com derrotados você aprende não a vencer mas a derrotar, pois os oprimidos adoram oprimir e servem aos senhores e servem a quem não lhe servem.




ronaldo braga

substancia

Você ta ai no mundo, você ta ai no meio dessa sujeira, dessa pobreza, dessa merda de pobreza e pensa em poesia, e pensa em morrer, você sabe que pode nem comer, nem mesmo dormir e tem os espetáculos da miséria, da miséria da normalidade, e você sabe que poesia é uma tentativa de não ser você, uma outra porcaria, uma fachada que lhe permite um status, uma especie de redenção. Seus amigos são pessoas sem esperanças, analfabetos em suas formações acadêmicas, buscam dinheiro, buscam alimentar suas proles, verem suas mães sorrirem e você desfila por eles sua arrogância de poesia, de prosa e de literatura.
Então a poesia te dar outros amigos, os outros, os que escrevem poesias, são belos, são ricos e são sorridentes e você ta ai em um outro mundo sem nada seu e a sua poesia é uma não poesia, é uma outra busca, sua poesia agoniza em sua triste sina de ser o outro do mesmo e você afunda e pensa em largar o que nem mesmo tem, então largar é alcançar é morrer em sua decima tentativa de morte e você chora e seu choro não é alivio, não é triste, não é comovente e você pensa em escrever poesia, então você ler CAL SOLOMOM e se assusta. Você sabe que a roda gira e gira e gira e Cal e você e gira e então você não pode firmar nada em você e apenas escrever o que palavras nenhuma pode dizer, então você queima papéis e palavras e papéis e mais palavras e quer encontrar o que não tem, o que não pode e você lembra da fome e descobre que a pior fome é dos que comem e de novo você pensa em viver e escrever e seu sorriso assusta e seus amigos agora são outros de outros e dos outros, você rouba amigos, você busca amigos e suas palavras são fabricas de inimigos e você pensa em viver em viver em viver e se pergunta pra que?
Então o passado é agora uma brincadeira de bonecos e você gentilmente pode dizer bom dia, boa tarde, boa noite e depois chora de raiva de impotência, aquele babaca me odeia. É, você ainda pensa na miséria, a miséria não lhe abandona, a sua poesia é uma capa, a miséria sua substancia e você corre corre e um louco lhe pede a mão e você bebe,vomita e emfim dorme em paz, mas você vai acordar maldito, vai acordar e um belo dia vai te olhar e lhe lembrar tudo de novo e um normal vai passar e como se empunhasse um colt vai olhar na sua cara e vai dizer
- Bom dia irmão Deus ama você.


ronaldo braga

segunda-feira, abril 01, 2013