quarta-feira, dezembro 05, 2012

A taxa de marginalidade e os homens sem digitais


Descem as escadas pro metrô aos montes
Nos bairros periféricos, rostos são marcados
À noite, se escondem sob o terror
São forçados pela opressão
Manipulam a paz
Determinam a guerra.

Homens terroristas
Seres aterrorizados
Por quem?
Por quê?

Quem escolheu o que fazer
Foi morto pela fome
Quem teve coragem de lutar
Foi pego pelo Estado

Marcados para sofrer
Registrados como delinquentes. 
E os bolsos dos inconscientes
Cada vez mais fartos
E a vida do dirigente
Cada vez mais fácil.


Desde que se fez gente
Ser humano é mistério.
Ser humano é caso sério.

A POESIA DE LEILA MARIA

Nenhum comentário: