quinta-feira, dezembro 29, 2011

O nome do livro

Caros amigos eis a capa e a contracapa do livro, "o nome do livro" feito em parceria com o poeta luciano fraga, livro de poesias e outros escritos.

Em breve vamos lançar em:
Cruz das Almas - Gramado restaurante
E em Lajedão em local ainda a ser definido.










postado por ronaldo braga

A Propos De Nice - de Jean Vigo- (1930)

terça-feira, dezembro 27, 2011

aquela dança


a tua dancinha está ali,
absorta em um canto qualquer,
olhando pra rua,
aguardando um passo que lhe falte,
por não se sentir completa,

a tua dancinha está ali,
agora em um canto especifico- embora ainda absorta,
testando passos e compassos,
embora não encontre janela- mas encontra tela e até tinta,
segue na busca do que lhe falta,

a tua dancinha,
está desvairada, se esqueceu de ti,
quer ser independente,
buscas outros passos que a libertem de teus opressores pés,
pq vc contou-lhe que as coisas sempre se completam,
se encaixam se fundem,
-deveria ter dito então, se findam...

e agora enquanto vc reclama do amargor do amor,
ela reclama do passo perdido, do passo que não vem,
e alguém a pergunta por godô- ela não sabe ela só conhece passos e marcações

vc conhece amarguras,
e sua dancinha está ali,
no canto,
a espera do passo perfeito,
pq vc a ensinou a não se bastar,
pq vc a ensinou a esperar no outro seu espelho,
pq vc a ensinou que as coisas se fundem e que esse é o sentido da vida,
e o que se poderia fazer contra o sentido da vida?

na dúvida sua dancinha nada faz,
só espera,
no canto, empoeirado,
ao som de The Smiths,
enquanto você também aguarda no outro o que não encontra em ti.

nilo trindade



borderless - (inacabado)



não sinto a tua fria mão que me toca a alma,
nem o teu quente bafo de paixão que me toca a nuca,
flutuo numa piscina sem bordas mas não sinto a agua
nem sinto o sol me queima a pele.

vc insiste em sussurrar palavras em meu ouvido,
mas eu não sinto seus lábios fazendo cocegas em minha orelha,
não sinto ´tua mão na minha,
só flutuo.

chego a lugar nenhum,
mas não me despeço de ninguém pois não os vejo,
não os sinto nem os quero,
tampouco os renego,
apenas flutuo.

a deriva do sentir,
penso se estou também a deriva de mim,
não encontro respostas,
só flutuo,
sem sentir a agua de uma piscina sem bordas que se esconde sob mim,

penso se estou a deriva de mim,
penso na piscina,
não penso na inxeistencia de bordas,
penso na piscina e de repente sinto um pouco de agua a tocar meu pé esquerdo,
e junto com a agua surge a angustia que toma primeiro meu pé e depois inunda todo meu corpo.

sinto a angustia de estar a deriva de mim,
mesmo sem saber ao certo se estou,
sinto a angustia que se segue ao despreparo para o não sentir,
sinto a angustia como se meu ser fosse angustia e com ela eu me confundisse,
já não sinto mais agua,
mas me lembro da piscina e o peso da angustia me faz afundar.


me sinto morrendo,
de agua e angustia,
e descendo, afundando, e descendo,
até que ouço algo que não é angustia e nem agua,
não reconheço mas aos poucos me aqueço com o que ouço,
e aos poucos me lembro do que era seus sussurrar em minha orelha,
e reconheço ambos, minha orelha e teus sussuros.

e de repente reconheço teu bafo quente em minha nuca,
tuas mãos em minhas coxas,
minha própria nuca, minhas coxas, meu corpo,
reconheço minha cama, meu quarto, teu corpo,
reconheço minha vida meu sentir,
reconheço minha existencia,
readiquiro o controle sobre minhas palpebras e abro os olhos,
movimento meus dedos e descubro que minha mão pousava sobre tua perna.



nilo trindade
http://vc-aqui.blogspot.com/


escrito em ctba após um almoço, 7 de maio de 2011, - cansado para terminar deixo para concluir em outro momento.

sábado, dezembro 24, 2011

O nascimento da tragédia ou Helenismo e pessimismo tentativa de autocrítica

ROBERT JONHSON SWEET HOME CHICAGO







Pois toda a vida repousa sobre a aparência, a arte, a ilusão, a óptica, a necessidade perspectivístico e do erro. O cristianismo foi desde o inicio, essencial e basicamente, asco e fastio da vida na vida, que apenas se disfarçava, apenas se ocultava, apenas se enfeitava sob a crença em "outra" ou "melhor" vida. O ódio ao "mundo", a maldição dos afetos, o medo à beleza e à sensualidade, um lado-de-lá inventado para difamar melhor o lado-de-cá, no fundo um anseio pelo nada, pelo fim, pelo repouso, para chegar ao "sabá dos sabás"
FRIEDRICH NIETZSCHE pag 17 ( O nascimento da tragedia, companhia de bolso, trad J.Guinsburg )

quinta-feira, dezembro 22, 2011

A menina queria ser como as outras.








A menina era linda, tinha um belo sorriso e era muito delicada, mas ela não podia ouvir falar em sua mãe, ouvir falar nela cortava todos os anéis dos anjos caídos e fazia transbordar os uivos secretos de sua alma. A MENINA QUERIA SER COMO AS OUTRAS, TER UMA MÃE QUE LHE RECLAMASSE, encontrar a comida na mesa no horário e mais ainda encontrar comida. Mas a menina desabafava com os demonios e dormia em gelidos sonhos envoltos em medos e sabia que o que era certo era a sua vergonha por aquela mãe.
Naquela manhã cinzenta de abril, a menina acordou os diabos e ainda sorrindo, sua beleza desaparecia enquanto seus olhos avistava sua mãe no computador. Naquela manhã tudo poderia ser diferente, o sol era distante, mas era belo o frio que delicadamente se infiltrava nos lábios da menina, um cinza quase marron tomava conta dos ares e a menina disparou palavras que para sempre lhe magoou. Chorando e ainda a espera de um abraço a menina gritou:
- Você é uma vagabunda, você é um lixo, um nada, eu sou feliz até lembrar que sou sua filha.
- Filha, não fale assim, você não gosta de você, por isso que fala assim, por isso que não estuda, e por isso que arranja esses namorados traficantes. Mas você é uma menina boa...
- Cínica, foi você quem me prejudicou, além de tudo é uma tremenda cínica- A mãe então comenteu um erro, rindo passou a mão no cabelo da menina e disse
-Você é uma completa imbecil- A menina sentiu o mundo escurecer e sem pensar arremessou o cd de chico buarque em sua mãe e acertou em cheio o pescoço e então seu belo sorriso ficou calmo e mais belo e ela sentou-se perto da mãe e começou a cantar cantigas de ninar enquanto sua mãe tentava em vão dizer alguma coisa, a menina calmamente colocou o cd ainda sujo de sangue no aparelho, acendeu um baseado e em um sorriso terrificante ouvia chico burque cantar:
- Pai afasta de mim esse cálice.
A menina foi ficando cada vez mais bela e olhava a sua mãe que imovel na sala era apenas um maravilhoso vermelho e a menina passou primeiro os dedos no corpo gelado de sua mãe e depois as mãos, e mais adiante todo o seu corpo. E como se agora tudo fosse para ela muito claro, a menina foi buscando o solo e aos poucos estava na posição fetal e com os dedos escreveu no chão da casa com o sangue materno :
- Eu te amo mamãe.

ronaldo braga


esse texto é antigo mas eu senti uma tremenda necessidade dele aqui de novo
rb

mais um bandido petista fora da politica

Câmara de Campinas cassa mandato do prefeito Demétrio Vilagra
Demétrio Vilagra é o segundo prefeito cassado em Campinas este ano

iG São Paulo | 22/12/2011 02:23 - Atualizada às 02:46




A Câmara Municipal de Campinas, no interior de São Paulo, decidiu cassar o mandato do prefeito Demétrio Vilagra (PT) por atuação incompatível com o decoro do cargo. A leitura do processo de 14 mil páginas foi concluída após cerca de 33 horas. Vilagra é o segundo prefeito cassado em Campinas este ano.

Leia também: Após 44h, vereadores cassam mandato do prefeito Hélio de Oliveira Santos

A sessão especial de julgamento foi aberta pelo presidente da Casa, Pedro Serafim (PDT) na manhã da última terça-feira (20). Com 29 votos a favor e apenas quatro contra, o plenário acatou a denúncia da Comissão Processante (CP). Votaram a favor do prefeito os três vereadores que compõem a bancada do PT – Jaírson Canário, Josias Lech e Carlos Signorelli e o vereador do PcdoB, Sérgio Benassi.

A CP investigou a responsabilidade de Demétrio em um suposto esquema de corrupção implantado na Sanasa, denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE). Os integrantes da comissão avaliaram se o prefeito teve algum tipo de participação no esquema denunciado ou se deixou de combater as irregularidades nas vezes em que assumiu o cargo e concluíram pela procedência da denúncia.

Demétrio negou envolvimento em irregularidades e pediu um voto de confiança dos vereadores, que não se convenceram com suas defesas. Pedro Serafim (PDT) vai assumir a prefeitura e deve marcar novas eleições em breve. O vereador Thiago Ferrari (PTB) assume a Câmara.

terça-feira, dezembro 20, 2011

pergunta de um trabalhador que não aceita as mentiras do molusco

Hoje um ladrão foi pego em flagrante e gritou-
- me solte eu não sou o único ladrão do brasil, antes de mim muitos já roubaram.
Mas o povo não aceitou o argumento e o matou a porrada.
Eu cá com os meus pensamentos percebi logo a covardia do povo, pois o pt vem roubando e dizendo que outros antes dele já roubou muito o brasil e assim o pt pode roubar mas o ladrão por ser preto e pobre não teve, mesmo usando o igual argumento do pt, a sorte de continuar vivo.
No brasil já sabemos se você quiser roubar e não ser morto por honestos trabalhadores, você tem que entrar no pt.
Outra coisa que eu acho curiosa é o índice de popularidade dos petistas. O senhor molusco sempre teve oitenta por cento da preferencia dos brasileiros segundo o caríssimo IBOPE, mas nunca teve em nenhuma eleição nem mesmo 50 por centos dos votos, salvo com a matemática petista de tirar os votos nulos e em brancos e ai o molusco consegue talvez sessenta por cento.
Ou o povo odeia o molusco e diz que gosta e na eleição não vota no sapo barbudo ou a pesquisa é usada para enganar e roubar as mentes dos pobres honestos brasileiros.
Outra pergunta quantos brasileiros a politica da dilma e do lula mata por dia nas filas dos sus?


ronaldo braga


PERGUNTA DE UM PEÃO QUE LER
Estou ao mesmo tempo que enojado, me sentindo em um rolo compressor por ser brasileiro. É que as pessoas do meu país acreditam em governo e somente um povo fraco, sem pensamentos e nem aspirações e com a auto estima bem lá embaixo para valorizar um grupo de parasitas que nada fazem além de de forma desonesta administrar o suor de todo um povo.
O governo atual sempre que se fala em melhorar a saúde vem com uma pergunta safada-
- De onde sairá a verba, a grana?
Se o povo brasileiro se respeitasse dava uma banana para o lula, pois em nenhum momento ouvimos nem ele e nem a tal Dilma que chefia a eurenice, aquela do roubo na casa civil, a pergunta clássica, sobre bilhões para a copa do mundo-
- De onde sairá a grana?
Para a copa do mundo, para emprestar dinheiro ao FMI, para salvar bancos e empreiteiras, para festas regadas a sangue popular e outras empreitadas suspeitas que levam no roldo bilhões do suor do negro e branco brasileiro, o governo petista não pergunta nada, pois sabe muito bem de onde tirar o dinheiro:
- Tiram da saúde, da educação e dos salários dos aposentados.
Há umas perguntas no ar:E eu gostaria que os trabalhadores que votam nesta especie de vampiro chamado lula respondessem:
- Por que não interessa ao PT melhorar a educação e a saúde do povo brasileiro?
- Por que interessa ao PT criar novas faculdades inúteis e sem nenhuma condição de funcionamento, sem antes melhorar as que existem?
- Por que interessa ao PT criar universidades que já nascem velhas e carcomidas e ao contrario não criar uma nova universidade com um novo padrão tendo com base estudos críticos em relação às que existem?
- Por que interessa ao PT defender com unhas e dentes corruptos com um histórico de corte de pernas e braços de petistas nos anos 80, como o caso de Sarney que cortou( mandou, ele é pouco "home" pra fazer ele mesmo) parte do corpo de petistas no maranhão?
- Por que o PT mente em relação ao IPMF, pois o IOF criado depois de extinto o IPMF deu ao governo se não mais o mesmo valor roubado do povo no IPMF?
- Por que o PT nada diz e nada disse sobre a morte de Celso Daniel?
- Por que o PT nada fala da compra do apartamento de lula em são Bernardo?
- Por que o PT se cala diante da fortuna adquirida de uma noite para um dia do LULINHA o filho?
São perguntas de um operário que ler e que sabe que só haverá respostas quando todo o povo brasileiro passar a se perguntar:
Se o PT gosta tanto assim do povo então por que, que tudo que o povo usa é uma desgraça? Como:
-Saúde;
-transportes;
- Educação;
- Moradia.
E enquanto não facilita a moradia o governo se transforma em vendedor de carros, enriquecendo mais ainda as fabricas e criando uma falsa melhoria de vida.
A resposta é uma só caro brasileiro negro e branco ou moreno, enquanto vc não se respeitar e deixar de re-eleger esses caras a farra vai continuar. O certo é a cada quatro anos votar em algo diferente e bem diferente do anterior.

A pergunta temida é:
Por que mataram Celso Daniel e o Pt se calou?

ronaldo braga

terça-feira, dezembro 06, 2011

Os resultados de duas pesquisas revelam a face perversa do país de mentira

Mauro Pereira

Os resultados de pesquisas publicadas recentemente pelo IBGE e pela UNICEF ─ a primeira dando conta que 70% dos domicílios em território brasileiro convivem com o esgoto a céu aberto e que a maioria não dispõe de água tratada, a segunda informando que cerca de 40% dos adolescentes com idade entre 12 e 17 anos vivem abaixo da linha da pobreza e 20% não sabem ler nem escrever ─ revelam a face perversa de uma nação injusta e desigual, desfigurada por uma de suas mais graves crises sociais. Os desdobramentos poderão levar a conseqüências devastadoras num futuro não muito longínquo.

É a consagração do país de mentira, que insiste em esconder em espetaculosas propagandas oficiais a degradação de milhões de brasileiros abandonados ao deus dará. É a mentira na sua pior forma, que escancara as mazelas de um governo refém dos partidos que o sustentam politicamente e próximo de afogar-se no mar de corrupção que o está inviabilizando. Dessa distorção decorre o inevitável relacionamento mais estreito com a prática nefasta de políticas paternalistas que exaltam a submissão e são diminuídas ainda mais pelo viés eleitoreiro que as caracteriza

Os números aterradores das duas pesquisas evidenciam as precárias condições de vida a que está confinada uma parcela significativa da população. Pelo conteúdo da propaganda governista, que polui todos os meios de comunicação disponíveis, não há previsão de investimentos significativos nesse setor. Não me lembro de ter visto nesses nove anos de desgoverno petista qualquer peça publicitária divulgando algum programa sério, principalmente voltado para o saneamento básico, preocupado em sequer amenizar os efeitos desse quadro desolador. Nego-me a levar em conta aqueles tendenciosamente assistencialistas.

Representantes autonomeados da sociedade mais desenvolvida do mundo zombam do sofrimento que flagela esses nossos irmãos ao festejarem um absurdo aporte financeiro solicitado pelo Fundo Monetário Internacional: “De tomador de empréstimos agora emprestamos dinheiro ao FMI e a oposição ainda tem a coragem de afirmar que nada mudou”, exulta um dos orgulhosos arautos do país acima de qualquer suspeita. Mudou, sim, e muito. A malha de proteção social transformou-se em título de capitalização eleitoral. No entanto, a política econômica concebida pela equipe do então ministro da Fazenda Fernando Henrique Cardoso, implantada pelo presidente Itamar Franco lá nos idos de 1994 e que é a única responsável pela ascensão do Brasil à condição de credor do FMI, ainda permanece a mesma. Intocável. Só não se lembram dessa verdade que os tortura os cafajestes usurpadores do talento alheio.

Cada centavo destinado ao FMI significará um quilômetro a menos de rede de esgoto instalada, uma criança a mais que não completará um ano de vida, o sonho abreviado de um adolescente fadado a vegetar pela vastidão da ignorância e condenado a ser apenas outro número nas estatísticas policiais. A soberba petista agüenta. Sinto uma vergonha que não deveria ser minha.

Outro fato preocupante é a visível indiferença da imprensa e dos congressistas que foram eleitos para atuarem, na oposição. Mais preocupada em abocanhar um naco generoso da ufanista propaganda oficial, a mídia se limitou a transmitir informações meramente circunstanciais dessa tragédia humana que está negando a crianças e adolescentes as mais comezinhas expectativas de uma vida menos sofrida. Também não é muito diferente a realidade entre os jovens e os adultos.

Nenhum órgão de informação se atreveu a investigar com maior rigor esse Brasil esquecido pelas autoridades. Sem exceção, a televisiva, pelo menos, presta-se às tarefas subalternas de, numa ponta glorificar a ocupação de favelas cariocas, tudo sem disparar um tiro e prender os chefões da bandidagem antes mesmo do início da operação cinematográfica com data e hora marcada e, na outra, dar vazão a uma sórdida campanha visando desacreditar os órgãos de segurança do Estado de São Paulo. O som do silêncio vigarista avisa que na capital do Brasil Maravilha foram abolidos os assaltos, os roubos, os latrocínios, os homicídios, os seqüestros, a pedofilia. Desde a retomada da Rocinha, nenhuma mulher foi violentada, nenhum homem foi molestado.

A oposição também não vê, ou finge que não vê, a precária subsistência dessas dezenas de milhões de crianças e adolescentes e não se articula para exigir medidas drásticas e urgentes para combater a calamidade que salta aos olhos. Pelo jeito, nem o interesse eleitoral a comove. Perde um tempo precioso na tentativa vã de emplacar CPIs que sabe de antemão jamais se concretizarão. Ainda que por estradas distintas, senadores e deputados oposicionistas passeiam pelo mesmo caminho da covarde indiferença trilhado pelo governo e sua base aliada.

Com a dignidade dilacerada pela crueza desse cotidiano hostil e atroz, vários milhões de sub-brasileiros representados por crianças, jovens, idosos, homens e mulheres ainda estão à espera de que algum outro navegante português de competência duvidosa se perca pelos mares do sul e os descubra. Desiludidos, perceberam tarde demais que o Brasil Maravilha inventado por Lula não foi capaz de descobrí-los.

Impermeável a manipulações, a realidade fria e insensível cobra o seu tributo e remete a sétima economia do planeta às mais sombrias profundezas dos grotões do atraso e do subdesenvolvimento. Acuada, prevalece a servidão que elege.

o recreio é a unica coisa boa de qualquer escola

A professora martelava as nossas mentes com as baboseiras de sempre e nos ameaçavam com notas fracas nas provas futuras. Ameaças tolas, eu só tirava notas baixas.
Meu cérebro esperava o recreio: Eu tinha um acerto de contas e mentalmente calculava os meus golpes : Apalpei meu bolso, um canivete enferrujado me garantiria a vitória.
Agora o famoso som estremeceu o mundo e nós éramos livres outra vez, tínhamos a nossa vida em nossas mãos.
O meu adversário sorrindo me acertou vários golpes, não tive como usar o canivete. E depois da luta que durou dois minutos, fomos para o baba, onde jogávamos no mesmo time.
Éramos amigos, e alem da dor no rosto e na barriga, eu estava feliz. Brigar me fazia bem: Bater; Apanhar. Era uma sensação de dono do meu próprio destino. Eu sempre apanhava mais, mas a vida era isso mesmo, outro dia eu o pegaria. Já era a quinta briga contra o J. um dia eu o venceria. O J me disse
- R você estar recebendo os meus golpes cada vez melhor
- É isso aí J, eu estou treinando, batendo nos menores, sua vez vai chegar.
Eu acreditava no J, ele era um cara legal, colocava a gente pra brigar e nos ensinava a dar e receber os golpes. Ele tinha 14 anos eu 11, eu chegaria lá.
A segunda parte da tortura, na sala de aula, foi melhor engolida, eu tinha recebido um elogio do J e ele não elogiava de graça, eu estava melhorando.
A senhora P gritou bem no meu ouvido - Me fale do sujeito oculto - A senhora P era professora de português e sempre queria saber: do sujeito oculto; do verbo; e do predicado. Eu estava sempre salvo, eu não ligava para aquelas bobagens.
E fui pra casa feliz, e recebi os cumprimentos de todos da minha idade, que me achavam um herói. Eles corriam do J e achavam que eu era louco e comentavam - O R é duro, apanhou bem e já aumentou o tempo, ficou em pé dois minutos – Eles contavam o tempo e eu era o recordista em briga com o J, os outros meninos de minha idade, ficavam de pé, até receber o primeiro golpe. Eu recebera nove e me esquivei de outros. A dor era um balsamo, pois eu via como as meninas me olhavam.

Ronaldo braga