domingo, junho 12, 2011

SUAS FLORES SEMPRE FERIRAM MEU CORAÇÃO.

Eu tento esquecer algumas dores, mas ao que parece o alarme da alma sempre se desliga de forma automática quando a dor que a gente tenta não sentir é de origem sentimental e ai exatamente quando tudo parece resolvido a dor se agiganta e ameaça até mesmo a nossa razoabilidade.
Hoje reli as suas cartas ofensivas e notei que detrás das palavras macias seu azedume prevalece e joga por terra toda a mentira de suas bondades. Eu não me importo com as ofensas e nem mesmo choro a solidão o que mais me incomoda é a tua especial maneira de me destratar junto a amigos e familiares.
Menina gostaria muito de saber de teus sorrisos e as noticias são sempre de teus destemperos e dos sofrimentos que causa a terceiros. Olha, a verdade é que a tua ultima façanha circula rápida e negativamente na boca do povo. A tua dança ainda repercute e assusta a amigos preocupados com a tua capacidade de arranjar confusões. Sei que você vai afirmar alto e em bom som que eu não tenho nada com tua vida e muitos menos com as tuas bebedeiras, mas as pessoas acabam nos ligando, por duas razões, a primeira pelo nefasto passado que parece ainda nos desunir e segunda devido a todos saberem que apesar de tudo ainda me preocupo com sua pessoa. Mas quero afirmar que pra mim acabou e que nem mesmo noticias suas eu vou querer ouvir.
Querida, acabo de informar a todos os nossos antigos amigos essa minha decisão e queimei todas as fotos em que sua linda careta aparece sempre sorrindo calamidades assustadoras.
A valsa de sua beleza já cansa e discretamente os olhares desviam diante da sua passagem, e eu sei que ainda existem olhos comprados e lábios treinados para agradar àqueles que pagam pelo serviço. Querida não é o tempo que vem corroendo tua imagem antes é a tua alma que cansada ameaça abandonar a carcaça besta que somente faz sofrer e somente sabe sofrer. O poeta já disse que sofrer é tudo o que resta e para a senhora essa é a verdade absoluta só que com um acréscimo:
Sofrer e fazer sofrer é tudo o que te resta.
Não leia esta carta como um pedido ou uma clemência mas como uma desesperada tentativa de ser premiado com a presença de tua tão sonhada ausência, pois depois de tudo o que eu passei nem mesmo forças tenho para te olhar e te machucar como eu gostaria e assim sendo a minha única salvação é te saber feliz em um inventado salão e ainda mais feliz com todos os teus imaginários amantes, tua dança sempre foi feia e descompassada, mas teu poder superava a realidade e os prêmios sempre vieram e te fez uma falsa vencedora, agora sei de tua carreira na política e sei que os corruptos vão disputar tua presença e que mais uma vez o poder pode cegar um povo errante, pobre, covarde e o pior um povo mal e parasita.
Querida, me despeço sorrindo todas as desgraças que produzimos juntos e que com a certeza de que na política seu futuro é promissor venho feliz esperando que falte tempo para seu pobre cérebro lembrar de mim. Querida neste país de bois te espero ministra ou quem sabe presidenta.

ronaldo braga

Um comentário:

nuno g. disse...

mandou bem braga!
gostei dessa carta-poema
esperava outro final
gostei do final nada previsível
abraço
nuno g.