quinta-feira, dezembro 23, 2010

fotos teatro base e depois do almoço





acima fotos do fantastico trabalho de estudo e pesquisa teatral do grupo teatro de base.

Bom rapaziada o trabalho de vcs primeiro exala trabalho, suor. depois inteligencia, geografia.
e depois só depois teatro, por que teatro é menor, maior é a vida.
e esse teatro que na foto salta pra dentro de mim, primeiro me espanta e me conquista, me espanta por que o trabalho é muito serio e estetico, vcs estudam e isso é suor, vcs são artistas e brincam com esse mundo criando um unico mundo o da realidade cenica.
e me conquista por que é serio mas não é sisudo é apenas o corpo humano pelo avesso.
me orgulho por diego, lembro como foi o seu contato com o teatro e me orgulho pelo grupo que faz hoje de verdade o unico trabalho de teatro que se pode assim ser denominado na bahia.
diego e o grupo se vcs poderem vejam os trabalhos do avelã e avestruz um grupo da decada de setenta na bahia o marcio meireles era que fazia a direção. não gosto de marcio mas esse trabalho dele me encantou e aé hoje eu recordo de baal, peça de brechet que o avelã montou.
eu estou apaixonado pelas fotos e quero ver o trabalho.

Abaixo o poema que eu fiz depois de ver as fotos. fome de arte. fome de vida. fome de morte. trabalho cientifico este do teatro base, me inspira. eu cresci vendo estas fotos.
depois do almoço




No meu silencio
suas ausencias
tumultuam
minhas palavras nojentas
e de frente pro meu sorriso
a fome
enfeitada me encanta.
Oh fome como és bela e sensual,
tu és a morte em sua meia luz.

No silencio
cada soluço é uma guerra
e tú fome exaurida se deita
e és assim que te admiro
já cansada e na ultima lembrança.

Fome, no silencio de tua vida
cada pedido
é um poema cruel
que
apenas
me faz feliz.
Oh fome não morre ainda
o teu sofrer
me salva
me enleva
me faz ser sorrir e te amar.

oh fome resiste
clama grita se irrita
fica mais bela e radiante em tua pele esverdeada
pois do teu corpo morto
somente missas e orações
e nada disso
é belo como a tua agonia

oh fome me deixa aqui a te olhar

mais um pouco
por mim
não vá.

ronaldo braga

2 comentários:

TEATRO BASE: Grupo de Pesquisas sobre o Método do Ator disse...

Ronaldo...
Você tem uma parcela na consolidação desse grupo. Foi devido as suas aulas, e devido aos meus primeiros conhecimentos em teatro, ministrado por você para mim.

Muito obrigado, professor!
Diego N. Pinheiro

nuno gonçalves disse...

curti o poema da fome, permite muitas leituras; ao contrário da fome por necessidade que causa cegueira, pensei nas alucinações induzidas por longos jejuns. aliás, talvez só mesmo um jejum de estado possa ter algum efeito.

abraço

nuno g.