sábado, dezembro 04, 2010

caçada aos patos

a guerra é um negócio
a droga outro
e no topo da pirâmide
alguém ganha
nova prata de potosi
novo ouro dos gerais
alguém que vai à missa
alguém que conhece os corredores do congresso
e o pobre paga a pena
sem comer do pato sequer o caldo
é tudo tão óbvio quanto o verso
que rima o novo com ovo
ninguém quer tornar legal
o que já é banal
afinal de contas,
a guerra é um negócio
a droga outro
e quem é alvo é sempre o pato
com seu tranqüilo baseado
com seu inofensivo papel de 20
para os embalos de sábado á noite


nuno gonçalves
que alé de historiador é tambem cearense,pernabucano e cruzalmense

Um comentário:

Luciano Fraga disse...

Braga, isso aí o retrato em preto e branco do que os homens vendem colorido.A podridão dos bastidores de quem finge que vai resolver o que está instalado, grande texto do Nino, abraço.