domingo, outubro 24, 2010

O PRATO AZUL PISCINA

(texto para ler e não falar nada)







Você me disse que iria comer tudo!

Mas não vou comer, não adianta...

Tu é uma praga, viu?!

Não sou!

O que é que tem de mais nesse prato, criatura do demo?

Ele é de barro quando deveria ser de plástico verde e brilhoso.

De plástico verde e brilhoso como o do Juca?

Não... como o do presidente!

Mas o prato do presidente é de plástico azul piscina!

Não! É verde brilhoso!

Eu troco o prato e tu come.

Você vai roubar o presidente?

Não. Vou matar um ministro.

Mas como?

De rir.

Vai contar uma piada? Você é péssimo piadista!

Não... eu vou morrer... Só assim para ele morrer... de rir. As pessoas só morrem assim. O que não é tão bom, pois sempre morre uma massa de gente.

Grande sacada! Vá, vá... Eu quero o meu prato de plástico azul piscina, para assim comer toda a gororoba que você fez... E esse cadáver no prato... Foi de quem?

... do presidente!




diego pinheiro

2 comentários:

Janaina Cruz disse...

Salve Braga...
Eu já matei até reis para roubar-lhes os pratos, mas o contudo continuou o mesmo, ou seja, nada comeram... Talvez tenha que mudar o tempero, ou aprender a cozinhar...rsrsr Amei o seu jeito brincalhão e alegre de escrever poesia...

Luciano Fraga disse...

Caro Braga, a cabeça na bandeja, a la Raulzito,quando aquele sujeito quis saber "o que ele tava pensando",como não falar nada? Abraço.