quinta-feira, junho 03, 2010

O ESCANDALO D A TERRA DOS AFRO DESCEDENTES





MOÇÃO DE REPÚDIO AO III BAFF

Em defesa da luta negra e quilombola por terra, justiça e liberdade!
Nesta edição do Ill Bahia Afro Film Festival (BAFF) que ocorre nas dependências do
Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL) em Cachoeira, mais uma vez o corpo e
as representações culturais das populações negras estão sendo tratadas como
mercadoria.
O filme Maria do Paraguaçu, de Camila Dutervil, que retrata a luta de uma
comunidade localizada no recôncavo da Bahia, mais precisamente em Cachoeira, tem
como objetivo a divulgação de um povo que luta pela permanência em seu território,
sendo este a base das suas práticas culturais, que dão fundamento a existência desse
grupo enquanto comunidade tradicional.
Denunciamos que no ato de exibição do filme este teve sua legenda em português
substituída pelo inglês numa clara intenção de evitar que fossem evidenciados os
processos de luta da comunidade, bem como os conflitos provocados pelos fazendeiros
locais. Esta atitude desrespeitosa impediu que os telespectadores tivessem acesso às
informações centrais do filme pelo fato de que se tratava de uma linguagem que acabou por descontextualizar o mesmo. '
Salientamos que a luta pela sobrevivência desta comunidade, ganhou' maior
visibilidade após a certificação de auto-reconhecimento da comunidade como
remanescente de quilombo expedida pela Fundação Cultural Palmares (FCP). Como
decorrência, foram iniciadas, por parte dos fazendeiros, perseguições e várias
investidas para desmobilizar a luta desta população que reivindica o seu direito ao
título do território garantido pelo art. 68 do ADCT - Constituição Federal de 1988.
Em meio a este conflito fundiário que foi iniciado em novembro de 2005{ duas lideranças da comunidade morreram em 2009, (vitimas: Maria das Dores e Altino da
Cruz). Outras tantas são constantemente ameaçadas de morte.
Este festival que era visto como meio de divulgar a luta desta comunidade
quilombola, decepciona. O filme não alcançou o objetivo de fortalecimento desta
comunidade, uma vez que, o final deste foi exibido em inglês, perdendo seu sentido,
pois, é exatamente neste momento que a informação é visualizada.
Considerando as tamanhas contradições, arbitrariedades e desrespeitos, nós
assinantes viemos por meio desta Moção de Repudio, exigir que o filme em sua versão
original (em Português) seja exibido neste Festival; bem como cobrar uma postura da
Direção do Centro e da Reitoria da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia -
UFRB.

Em solidariedade e rebeldia,
- Acampamento Remanescente - Embarracados no CAHL
- Núcleo de Negras e Negros Estudantes do CAHL - NNNE
- República Quilombo
- Associação dos Remanescentes do Quilombo do São Francisco do
Paraguaçu - BOQUElRÃO .
- Associação Quilombo do Orobu - Quilombo Educacional
- Coletivo de Mobilização do CAHL

BRAGA E POESIA

Nenhum comentário: