domingo, fevereiro 14, 2010

A MINHA DERROTA

QUERO SER CORTADO POR TODAS AS LAMINAS
QUANDO O TEU BEIJO
MACULAR MINHA INOCENCIA,
E
QUERO A MORTE LENTA A TEU SORRISO DE LUA ABORTADA.

SIM
SOU UM LOUCO EM BUSCA DE TODAS AS DORES
E SENSUAL VC SONHA COM O CONFORTO
E AINDA ESPERA MEU CORPO COMO
UM LODO A TEUS PÉS.

SIM
SOU UM ATAVISMO A IMPERAR NA NOIITE SEM FIM
E APENAS SEI DO NADA
A SUFOCAR MEUS DENTES.

E QUANDO A LUZ
REFLETE TEU OLHAR
É SÓ TRISTEZA E LAMURIAS
NAS FLORES SECAS DE TEU JARDIM.

QUANTA HARMONIA
NAS CARNES CORTADAS DE TODOS OS TEUS ADMIRADORES
E QUE SORRISO O TEU
NO LONGO PERCUSSO DE MAIS UM ANJO CAIDO.


SEMPRE INVENTAS CORES DAS DESGRAÇAS ALHEIAS
NÃO, NÃO SE IMPORTE VOCÊ SEMPRE VENCERÁ
E EU APENAS TESTEMUNHAREI
A MINHA PROPRIA DERROTA.

E EM TEUS FESTEJOS DE PASSOS CORRETOS
E LUGARES MARCADOS
A ORQUETRA CANTARÁ SANGUE NA NOITE DO TEU SUPLICIO.


ronaldo braga

3 comentários:

anjobaldio disse...

Muito belo e denso este poema Ronaldo. Parabéns, grande abraço e vida longa!

Luciano Fraga disse...

Braga, intenso, agressivo, assim a banda toca pelos coretos da vida, enquanto seguimos à margem lancinados por doces sorrisos, abraço.

Mai disse...

Cortante, premeditado em detalhes, com melodia e tudo. Intensidade parece ser uma marca por aqui.

Li outros textos.
Abraços e boa semana