segunda-feira, fevereiro 01, 2010

AMOR DIVINO

Há sombras e crueldade
em teu amor de flores e ervas
e infernos em teus beijos.
Por tua palavra
os céus lançam mortes nos risos inocentes
sim agora eu sei que teu amor veneno tem gosto de punhal ardente nas minhas costelas.


E nas tuas vestes de deus
a mentira cala a minha voz,
pois possessivo
o teu amor celestial me pune
em cada momento feliz .

Somente calando meu instinto
e me dobrando aos teus pés
és o meu pai bestial que me condena eternamente.

Não eu não pedi a tua morte e nem a do teu filho eu aceitei,
vai, vai pros quintos dos infernos colher ervas na madrugada
pois teu amor cobrança tem gosto de punhal
e ardente meu corpo renega a podridão
de tuas promessas e sabe do finito do meu ser.

ronaldo braga

2 comentários:

Luciano Fraga disse...

Braga, poesia que execra a covardia e exalta a coragem de amar aquele irmão mais velho e conselheiro, apenas amar e não tomá-lo como muleta para auto enganar-se, ou usá-lo como escudo para uma provável salvação, da própria pele(lógico) e apenas,forte.Abraço.

anjobaldio disse...

Muito bom! Grande abraço.