sábado, janeiro 23, 2010

humanidade

como chuva
pratico descer aos montes
e antes de qualquer sol
agonizo em areias raras

sim, sou assim
e quando a alegria ocupa os mundos
sou tão sozinho nesta lua repleta de convidados
que carrego a espada mais afiada
e cutuco o beijo no silencio de uma estrela caducada

como vento carrego folhas ao acaso
e seco desminto toda beleza
que teima me sobrevoar
pois beleza
já perdi todos os seus sentidos
e nem espero sua oca bondade
e te deixando cair
sinto o golpe desferido em minha tenue humanidade


ronaldo braga

Um comentário:

Diego Pinheiro: disse...

"e nem espero sua oca bondade
e te deixando cair
sinto o golpe desferido em minha tenue humanidade."

Essa parte, Ronaldo é incrível.
Mostra, "metafisicamente" falando, o que é em verdade a vida humana, ou melhor, o mundo.

Abraços, professor.