sexta-feira, junho 26, 2009

luciano fraga, nelson magalhães filho e ronaldo braga

Teu cheiro amarfanho durante toda a cidade
e nos dentes postos sobre a mesa
como um escapulário tua lascívia eu pressinto.
Nem a lua nem teus olhos certamente me salvarão deste teu cheiro espesso.
Eu cresci nestas estranhas paragens sem estrelas entre bichos e flores
como se não fossem cobertos pela escuridão.
Apenas arfava um golpe entre o vazio de mim
e a captura de insetos do inferno em teus cabelos.
Em inquietude, me preparo para a dor.

Nelson Magalhães Filho


GUERRA DAS ALMAS


No princípio era apenas

o homem.

E do sopro

fez-se uma espada,

com a boca de cor

e um juízo

de barro...


Luciano Fraga

SÃO JOÃO E O DINHEIRO DA PETRO


A espada cresce na noite e o meu cerebro examina como um louco os lados desta tão mal e bem dita festa. O licor estremece os timidos, os fracos, e os faz rir um riso solto besta e babaca nas fumaças dos dolares da petrobras: financiamento a curto prazo, enriquecendo bolsos cruzalmenses ou não.
Eu estou em pé diante da fogueira e já não ouço a famosa frase:
- São João passou por ai.
Cansado de tanta euforia invertida, de tanta falsa seriedade de doutores e doutoras sociais, eu simplesmente arranco mais um pedaço do meu nariz e o arremesso contra todos os muros e canto a derrota do povo mais uma vez em silabas garrafais.
São João: a derrota ou a vitoria cantada e sentida em licores, fogos e incendios mentais.
O caos re-instalado em minha mente-casa se rebela e pede uma organização urgente e linear. Eu sou um homen sorridente e sem dentes a cantar a vitoria do meu inimigo em sorrisos colgates. Eu sou a besta alegre a me vestir de vermelho e chorar os mortos alheios, eu sou a falsidade a declarar morta a mentira e a dizer em alto tom:
- O brasil é feliz e cresce a todo vapor. Afinal que me importa a pessima educação, a saude publica, e os miseraveis a receber a esmola mensal do governo federal, é são joão e eu vou soltar espadas, tomar licor e dizer viva a corrupção, viva a direita que me apoia e nem me importa a que preço, e viva o povo boi que me diz: eu quero o terceiro.
É são joão em Cruz das Almas e as espadas ferem os corações ladinos, ASSUSTAM bois e espantam moças pra lá de donzelas.
É são joão e a alegria é o dinheiro da petrobras.

ronaldo braga

6 comentários:

Luciano Fraga disse...

Braga, magnífico texto, de gole em gole, de espada em espada o fogo fátuo do povo arde em mugidos de genipapo.Zé Ramalho abriu o show dizendo:"prepare o seu coração pra coisas que eu vou contar" e completou;'Vida de gado, povo marcado, povo feliz,Feliz?" Grande abraço.

anjobaldio disse...

Valeu Ronaldo, obrigado pelo poema e pelas visitas. O show do Zé Ramalho foi maravilhoso mesmo! Grande abraço.

Zinaldo Velame disse...

Trio de primeira, Ronaldo! Abraço!

Anônimo disse...

AU
批發

seo

網路行銷

Marcia Barbieri disse...

Todos vocês juntos é covardia!!!!!


beijos ternos e minha eterna admiração

ismael silva disse...

Nossa parabéns, meu desejo é um dia escrever bem assim..
sucesso.. só bem novo por aqui...

http://algumaloucura.blogspot.com/

axé!