quinta-feira, março 20, 2008

a poesia de zeca de magalhães

A MEU PAi


Um homem nu
De olhos pretos
Sonhava

Queimava na brasa
Um simples silÊncio
O tempo

Matava num gesto
Um simples poema
O ato

E às vezes
Chorava
Sem nem saber por quê

ZECA DE MAGALHÃES o eterno

Nenhum comentário: