segunda-feira, março 03, 2008

a cegueira de sião

Um grito
e
uma seta:
veneno e decepção.

Um move-morre
que não morre nem move
no translado.

Uma,
duas e
muitas, e
unica dor
já não sentida.

Um caos no céu
Desmoronado.



ronaldo braga

para o poema
" OLHOS DE CIPRIÃO"
DE LUCIANO FRAGA

5 comentários:

ronaldo braga disse...

quando eu leio uma poesia que me toca sempre a resposta vem assim: em arte, em poesia.
e a poesia de luciano fraga me estimulou, me fez coçar por dentro.

Ruela disse...

muito bom, mesmo.

abraço meu amigo.

Luciano Fraga disse...

Caro Ronaldo,é isso aí, este é o caminho,maravilha de réplica,parabéns,abraço.

monica alcoverde disse...

o poema é bom, bem construido.

CACHORRO VADIO MORTO EM NOITE CHUVOSA disse...

Um poema também serve para saírmos deste estado de letargia mortal que nos aprisionam neste caos contemporâneo: comer flores amarelas e cerejas avermelhadas para aliviar a dor.