terça-feira, fevereiro 05, 2008

a poesia de luciano fraga

FÉ E FOME


A sua fórmula,
está prescrita,
expirada
como um tempo
de flecha...
Toda fortuna é incompleta.
Sempre existe
algo que nos falta,
seja a agulha
para costurar uma brecha
ou um comprimido
para baixar a pressão
alta...
Mas,
falta a coisa!
Aquilo que você não acha,
nem dentro de um cofre
lacrado,
nem na canção suculenta
de um tumor
mal curado
ou na imponência
de quem caminha
como um Deus irado...
Na procissão dos arrebatados,
uma moeda vadia
é o cântico
mais exaltado
que eles gritam até a exaustão:
mãos ao alto!
E assim,
um deus
vai sendo usado...

luciano fraga
www.versoseperversos.blogspot.com

3 comentários:

ronaldo braga disse...

e assim mais um deus vai sendo morto, ou tornado morto.
os deuses nos servem como medida de potencia e não como medida comportamental.
luciano um poema com beleza e materialidade.

Cafundó disse...

Luciano, eu sou sua fã!
Obrigada pela visita, Rô. Beijo imenso!

Luciano Fraga disse...

Cafundó,muito obrigado.É uma grande alegria saber disso,grande abraço.