quinta-feira, fevereiro 07, 2008

Aprendizado

Eu vou à praia meu bem,
Cantar amargas flores
e lembrar do néctar
de teus
fartos peitos.
Desde cedo, meu bem
aprendi a esperar
em doidos porres,
teus solenes momentos e
ir à praia meu bem,
comer as cores da noite...
E, meu bem,
que me importa
sua boca
a me olhar de dentro do nada.
Aprendi
esperar,
na insensatez dos teus beijos,
uma azul onírica tarde sangrenta.
Meu bem,
eu sei de seu desejo mórbido por orquídeas e laranjas,
e sei do teu amor imundo,
em velhas doces canções.
E sei:
as árvores verdes
choram tua partida,
imaginando esperas
nos cumes das madrugadas.
Eu,
meu bem,
vou sorrindo dores nos teus abraços meigos.
Enquanto os bêbados dormiam com todas as deusas.

ronaldo braga
(para todos os amores não acontecidos)

2 comentários:

CACHORRO MORTO EM NOITE CHUVOSA disse...

Os bêbados comem as deusas.

Fulana Miranda disse...

Belíssimo poema, Ronaldo. Belíssima e triste essa praia em que todos vamos carregando canções e signos de histórias... Essa praia passa por todos os lugares e todos nos encontramos nostálgicos e contemplativos de pés na areia, mirando a disformidade do que há de vir, como Caetano canta em Etc.

Lá no blog, escrevi um texto comentando o seu comentário...
Pode usar a valsa dos vestidos quando quiser. Qualquer poema que queira. Abraço forte