terça-feira, janeiro 01, 2008

lavagem do Glorioso São Roque do Jacuípe

Melânia, Natália e Sidália
Já não posso mais dançar
João Bretante não tem mais o cabaré
E os foguetes não pipocam no ar
Sidália, Melânia, Natália
Acorda o povo para a louvação
O Jacuípe correndo morto
E um saco de maconha
Arde na periferia da região
Natália, Melânia, Sidália
Um Barbeiro cego
Toca a caixa na rua deserta
E uma ratazana corre pelos escombros
Trazendo a epidemia para o Riachão
Melânia, Natália, Sidália
Acorda o povo para a procissão
Manda rezar pra São Roque
Manda o povo ter mais devoção.


Miguel Carneiro

In inédito
31 de dezembro de 2007

Nenhum comentário: