terça-feira, janeiro 08, 2008

Daniela

(pintura de Cristina Del Valle, artista da Argentina)
Ele não queria e nem imaginava como viver sem ela, foi uma dependência que ele nem mesmo sabe como começou, só que agora as coisas estavam de uma forma tal que ele simplesmente entrava em total desordem interna quando, por exemplo, na fila do caixa em um supermercado, ela resolve buscar um produto e demora um pouco além do esperado: todas as coisas e pessoas ganham cores e contornos diferentes e o pior sempre aterrorizantes e aí quando parece que a coisa toda vai explodir, ela chega e tudo então volta ao normal, o circo ao seu refrescante cotidiano.
Mino acordara naquela manhã, com um sentimento estranho a lhe morder as entranhas, ele sentia que Daniela estava sutilmente diferente, e com medo vasculhou as possibilidades de ter feito algo de nocivo ao seu feliz relacionamento, será ele a razão da tristeza dela? Mino buscava com agrados e carinhos manter Dani feliz mas, sempre passava do ponto, sempre seus mimos eram em demasia, Daniela se sentia sufocada e o acusava de não deixar espaço para ela viver.
Os últimos dias para Mino foram terríveis, dúvidas martelavam seu cérebro, dores constantemente na cabeça e a cada ato dele, feito com todo esmero para agradar, acabava sempre com ela zangada e o acusando.
Hoje acordara mais assustado que nos outros dias, mas ao levantar e sair do quarto encontra Daniela nua e como ela estava linda e parecia que ia voar, ela, na sua frente, distante sem nada ouvir ou ver. Mino, quieto se aproxima e observa:
Daniela fria e distante sabia da derrota, ele não era incomum e também assim como os outros, tinha medo de planos, de conquistas.
Daniela sabia do vazio do seu amor e sabia exatamente que ele não era o homem que ela sempre quis, que ela sempre desejou. Mino: agora ela percebia, era apenas mais um homem na sua vida, até quem sabe aparecer um outro.
Daniela sorriu, pensou que sempre existia a esperança em um novo começo, quem sabe o próximo não seja o homem com quem vá construir um futuro, com objetivo e objetivos.

Daniela percebeu a chegada de Mino e o olhou com carinho.
Mino a abraçou e a beijou e ela o beijou e disse que o amava e que ele era o homem de sua vida. E enquanto faziam amor ela o obrigava a dizer que a amava, mais de uma dezena de vezes.
Mino acordou feliz, com o corpo disposto, com muita fome e jovialidade.

Ronaldo braga

2 comentários:

anjobaldio disse...

Ronaldo, dá uma olhada em TATURANAS lá no meu blog. Grande abraço.

Jorge Elias disse...

Olá Ronaldo,

Vim seguindo o rastro que partiu do Diversos-Afins.


Um abraço,

JEN