quarta-feira, novembro 07, 2007

A poesia de miguel carneiro

Canto breve para a Poeta Carine Araújo

Faltam muitos versos
para consertar o mundo.
Nós, de voz embargada,
colocando nossas baladas,
em plena multidão.
Há ainda um irmão com fome,
um primo sem pão.
A poesia emergindo silenciosa,
esvaindo de nossas mãos.
Por isso, te afirmo, poeta:
Ainda é tempo de se fabricar o verso,
para enganar a sanha
demoníaca do Cão

Miguel Carneiro

Nenhum comentário: