segunda-feira, outubro 22, 2007

a poesia de fabricia miranda

Parce que vous êtes la femme, l'Eden de l'ancienne tendresse oubliée (Paul Claudel)

Ai de nós, mulheres feias!
Ai de nós, mulheres tortas!
(Rita Santana)***
A Rita Santana, Vanessa Buffone, Adelice Souza, Renata Belmonte, Cássia Lopes


Atrás de mim,
Camille grita por seus abortos.
Tento juntar minhas três faces
De modo que eu pareça ainda mais desumana
Criatura abissal de profundos oceanos
Peixes esquizóides pinçando as córneas de todos os náufragos.
Quero a confusão para os que me olham
Porque são muitos os que não me sabem.
Em minha cabeça majestosa de demoníaca trindade
Camille ainda grita, de cócoras sobre a noite,
Erguendo a mim suas mãos metalizadas.
Adiante, além da noite que se desenrola
No destrançar das tramas da minha cabeleira de possessa
De onde despencam os sonhos e os pesadelos,
Aquela dos olhos grandes toma um conhaque barato;
Como saído de contos de fazer dormir, Um leão cochila acorrentado a um de seus punhos
Em seu pêlo de poeira e ouro, marcas de pernas fêmeas
Um arreio de fios de seda pende,
Como um adorno singelo,
Do largo dorso de besta.
Avanço na lamacenta escuridão do entre-sono
Com o meu rosto distorcido pelo alinhavar das agulhas.
Há um baque oco contra as pedras,
Sei que são ossos
Uma cabeça de pai
Coagulando silenciosas ternuras.
Fazendo dobras em papéis
Recorto homens de mãos dadas,
Numa ciranda de infinitos herdeiros das coisas profundas
E ofereço à mulher que, ao fundo de muitas salas,
Balbucia premunições onomatopaicas.
No centro de tudo, no centro da noite,
Treze cavalos suportam seus labirintos de Creta.
O que fora feito de Camille? Pergunto
Articulando em cadência bizarra minhas três bocas.
De dentro do manicômio, espasmos de eletro choques
Um coro de mulheres loucas, nuas, usadas,
Repete em convulsões as letras trágicas de sua loucura:
- Ai de nós, mulheres tortas...

Fabricia Miranda
(Poema de um tal livro inédito e inacabado " O Cirandeiro das Facas")

6 comentários:

Anônimo disse...

"Nestes tempos de poesia de rascunho" como disse, certa feita, o bardo Mór da Bahia, o poeta Ildásio Tavares. A poesia de Fabrícia Miranda vem revelar uma poética feminina eivada de sangue e suor. Uma poeta de verdade não falsas poetinhas... Em Fabricia Miranda, há um estado acima da loucura e da razão, algo que só quem está antenada com anjos que tocam trombetas e sopram nos ouvidos versos líricos pode dar o ar da graça e dizer que "eu sou uma poeta baiana - carioca". Em Fabricia Miranda há a lindeza de seu rosto, há a beleza de seus versos tão lindos como seus olhos...
Parabéns! Fabricia Miranda poeta baiana da contemporaneidade virtual e impressa.
MIGUEL CARNEIRO

luciano fraga disse...

Ronaldo,poesia com forte ânsia,loucura,beleza,segredos do universo femenino,maravilhosa...

anjobaldio disse...

Uma vez Pablo Sales me deu um livro de poemas da Fabrícia Miranda, e li de uma vez só. Maravilhosa poeta.

Fulana Miranda disse...

Meu querido poeta Miguel Carneiro, agradeço pelo comentário!!

Luciano, fico muito feliz de encontrar seu comentário.Dei uma lida nos textos que vc tem por aqui. Gostei do que vi. Vc tem blog?

Nelson,

já conhecia o seu blog, acho que através do blog da Renata belmonte, gosto do que vc faz, palavras fortes, imagens grotescas que, para mim, são intensamente líricas, escolhas que gosto muito e que tomo para mim em meus textos: "ainda não sei o que tem dentro de mim
que não passa nunca e chora
(...)
eu cambaleava pela afável noite de ontem
com a sede insuportável do beijo
vadiando pelos becos escuros da gamboa
vadiando pelas ruas estreitas
esculpidas de perturbados da gamboa.
aí eu começei o canto esganiçado
para você me ver assim: uma
muralha de dor,
uma carne tecida de flores
que vão ficando álgidas de aves marinhas.
meu amor que não conheço apenas me pasta
neste tempo perdido no mar negro
abortando cavalos e cadelas e rezando pro anjo.
(...)


Abraços a todos
Parabéns ao Ronaldo pelo Blog! A escrita tb me ajuda a conjugar anjos e demônios como verbos de salvação íntimos.
Foi uma boa surpresa me encontrar aqui. Obrigada por me oferecer essa delicadeza.

Fabrícia

anjobaldio disse...

Obrigado Fabrícia. Fiquei emocionado com tuas palavras. Um forte abraço.

Fulana Miranda disse...

Ronaldo,
recebi sua mensagem, só não sei como aquele blog uol ainda existe, pq eu apaguei ele... oxe! Coisas do mundo virtual! tipo: Duro de matar!
Vc pode olha meu blogspot e retirar algum texto de lá, se quiser. ou me mande um e-mail e eu te encaminho poemas. O endereço do blog: www.fulanaopereta.blogspot.com

bjs
obrigada pelo gesto,
Fabrícia Miranda