segunda-feira, agosto 20, 2007

cruz das almas city blues,

dilacerantemente escura
pela tarde fustigavam meus olhos a mesa
de jantar
a mesma mesa de flores esverdeadas
espreitando meigamente meus seios
pela tua loucurainexplorados.
sua essência amar
ga como losna-maior
esta ampulheta mede uma fração
de artemísias...
ao lado do beliche furtivamente
A Lua e os animais, de Jorn
dilacerantemente escura
agitando inefável faca insetos ilimitados
que não acontecem habitualmente
na investigação do espanto.
tenho poder sobre os bichos da tarde.


Nelson Magalhães Filho

4 comentários:

MANDALAS POEMAS disse...

Hola, que tal. Desde Barranquilla, Colombia, te envío un caluroso saludo y mis felicitaciones por tu blog y en especial por su contenido. Aprovecho para invitarte al mio donde están depositados mis poemas. Espero tu visita y tus valiosos comentarios. Los poemas los puedes utilizar siempre señalando, eso si, mi nombre como autor.

www.mandalaspoemas.blogspot.com

Un abrazo,

Víctor González Solano

Anônimo disse...

SURGE NO CENÁRIO MEDÍOCRE DA PROVÍNCIA DA BAHIA UMA REVISTA IMPRESSA, NOVA, FORA DOS MOLDES DA CURRIOLA E IGREJINHAS:
A QUEM INTERESSAR POSSA:
http://www.poesiaeafins.com

Obrigado Nélson,
por divulgar a verdadeira arte poética, não a do engôdo!
abraços,
Miguel Carneiro.

Anônimo disse...

Braga, desculpe,
obrigado a Você,
abraços,
mIGUEL CARNEIRO

Ruela disse...

Concordo plenamente com o comentário anterior!
Real
um Abraço!