quinta-feira, agosto 30, 2007

amo

Amo tudo aquilo que deve ser odiado. E isso eu guardava pra mim e então eu podia repetir com
e como os outros:
Oh! como ficou bonito!!
Mas eu sabia.
Eu amava o que não prestava, o inutil, o sem valor.
Toda vez que eu encontrava algo disforme, doente, como odores fortes e
principalmente ruim, podre,
eu logo dizia e digo se for uma pessoa:
boa pessoa.
Pra mim foi tudo, sempre, muito claro:
Eu gosto das piores pessoas,
das mais perversas, mais mentirosas e
de alguma forma renegada pela maioria.
Sempre soube que destruir
sempre foi a melhor forma de contribuir com a humanidade.
Como é bom destruir.

Ronaldo braga

3 comentários:

anjobaldio disse...

A gente só constrói destruindo velhos rancores.

Anônimo disse...

POETA RONALDO BRAGA,

PEÇO QUE COLOQUE EM TEU BLOG O LINK DO BLOG DE NOSSO AMIGO, O SAUDOSO IRMÃO ZECA DE MAGALHÃES:

OLHA AÍ O ENDEREÇO:

http://www.zecademagalhães.blogspot.com

Meu Abraço a Ti!

Anônimo disse...

OUTRA COISA:

CONSERTA A GRAFIA DO ENUNCIADO LÁ EM CIMA DE TEU BLOG "ESCRITROS"

SÓ MESMO A TUA AGONIA GEMINIANA
ABRAÇOS,
MIGUEL CARNEIRO