segunda-feira, maio 21, 2007

NO CORAÇÃO DA PEDRA

“...o que amo em minha loucura é que
Ela me protegeu desde o primeiro dia...”
Sartre.


Quando baixar o fogo
dos seus olhos
de lavas
assim penetrarei
nas sombras
de minha vida
troncha, ilustrada
pelas gotas
da chuva que tudo
lava
minha alma
ofegante
com a cabeça calva
arrasta-se pelos cactos,
em noites de trovoada...
Acho que isso tem
tudo a ver
com carregar fardos
pesados de vexames...
Todos querem um herói,
a fortuna
a pedra lapidada
sem saber como construir
a própria estrada
ou cruzar a fronteira
sitiada
entre o desespero
e a loucura
sustentada
por um fio de pentelho
na ponta da espada...
Como um velho músico
rebusco
a negra melodia
de um dia
na melancolia
de um sax
que arranha
o coração de lajedo...


Autor: Luciano Fraga

2 comentários:

Braga e Poesia disse...

LER LUCIANO É REALMENTE OUVIR UM sax E MAIS AINDA É OUVIR CORES, É OUVIR DESEJO, E TAMBEM É OUVIR A VIDA COM SUA BELEZA TRISTE, COMOVENTE, SENSUAL, É OUVIR A TRAGICA CAMINHADA DAS ARTES EM UM MUNDO QUE SÓ EXISTE PARA A ARTE EXISTIR.

monic disse...

Oi Ronaldo, é um grande prazer está conhecendo um pedaço do seu mundo. Amei as poesias e essa citação de Sartre!!! Sem palavras!!! 10!!!

vi sua postagem da peça, e acho que preciso ir ao teatro. É incrível mas é uma coisa que fazemos pouco, enão temos idéia do quanto perdemos...

Beijuxx no coração!!