segunda-feira, abril 16, 2007

HÁ OUTRO EU

(GRACIELA MALAGRIDA, POSADA, MISIONES, ARGENTINA,
http://uni-versovirtual.blogspot.com/ )




Há outro eu,
e que se ver
interpondo
entre o sol e eu
uma lamina qualquer
que percorre
as veias minhas.

As correntes minuciosas da energia
que de perto segue
a conexão intima
da lamina com a folha
da folha com a arvore
e da arvore
com a arvore no bosque de mim, tão vazio.

Agua, saber, sol
caminho e vida.

Nada dói tanto
quando se tenta
por inteira
atravessar a luz....

Há outro eu
que é ao mesmo tempo
Teseo e Minotauro,
ambos seguem
o fio de Ariadna
ambos a abraçam
na saida,
ambos chegam a reis
neste mundo,
enquanto ela
pessoa dividida,
como uma aranha
tece pura brisa
e poderosos sinais resplandecentes.

Nada incomoda,
nada mortifica,
nada acusa,
mais que eu.

Poesia de GRACIELA MALAGRIDA
Tradução de ronaldo braga

4 comentários:

ronaldo braga disse...

poema revelador de coisas que muita GENTE QUER ESCONDER e depois de ler este poema eu diria:
nada me incomoda, nada me acusa mais que eu.
Somos nosso maior inimigo, por isso é preciso que eu negocie sempre comigo.
uma poesia cheia de garra e determinação.

graciela malagrida disse...

mil gracias ronaldo!
en portugués todo parece cantado, suena bello, me encanta.
estaré publicando algo tuyo en breve...
gracias again

anjobaldio disse...

Lindo poema Graciela. O Rimbaud já dizia que "o Eu é um outro". Grande abraço.

Mario Araújo disse...

Rimbaud, poeta das sombras, destemido, como esse poema desnudando a alma humana em controversios dialógos com o mesmo.