segunda-feira, janeiro 01, 2007

Sem titulo

Persegues nas estradas
a mesma caça
O uivo enlouquecido de vermelhos
o alvo que farejas em fêmeas loucas
o pão de almiscar
e a carne tonta em tua boca.

Esqueceste de mim.

Há 40 anos pisoteio as ervas
para não ferir-te a língua.
O cheiro das rosas rotas
em meus dentes.

Há 40 anos amacio o verbo.
Enquanto ardes teus naufrágios
em outras fêmeas esqueces tua irmã.

Esqueceste
os versos de Florbela em minhas coxas.

Patricia Mendes

3 comentários:

Nelson Magalhães Filho disse...

Pat é uma das nossas grandes poetas do lado de cá na cidade das sombras.

ronaldo braga disse...

discordo. Pat é uma das melhores poetas de todos os lugares hoje, não somente da cidade das sombras. ela tem ritmo, continuidade, metaforas e leveza, é uma construtoras de mundos em poucas palavras.

Anônimo disse...

Discordar que a cidade das sombras é apenas um lugar estranho? A cidade escura é mais que um sítio no cú do mundo, é um estado existencial que pode vir de Berlin, do Irã, de Nova York......