terça-feira, janeiro 09, 2007

HÁ UM CORPO EM CHAMAS DE UM HOMEM NO PANTANAL MATOGROSSENSE

Em memória de Francisco Anselmo Gomes de Barros, “Francelmo”


Domingo,
dia que Deus descansou depois da labuta
após criar o mundo:
de céus, planetas, terra, rios, mares, bichos, plantas
e o homem sobre a face da terra.
Em Campo Grande, Iracema Sampaio
chora.
Dom Pedro Casaldáliga
ora.
Manuel de Barros
procura sentidos nesse gesto.
Almir Sáter e João Bá se perguntam
porque o Tuiuiú está em silêncio?
Na Bahia,
meu avô, Augusto Asclepíades, diria:
“O mundo termina em fogo.”
Mas, não durmo,
e minha mão arde,
nessa lembrança de fogaréu.
Por que, heim, Anselmo,
foste tão glorioso na tua própria coivara?
Eu, sei, Sabino Alves Sampaio
está perplexo diante das labaredas.
Há em mim
essa vontade incomensurável
de te enviar para te salvar:
caminhões de “Paraqueimol”.
Os peixes ainda conversam,
falando de tua história.
São tambaquis, piranhas
na mansidão dos igarapés,
entre garças e jacarés.
O Bugre te louva.
E até penso que o povo de Mato Grosso,
de Tocantins, do Pará,
fazem de tua chama,
luzeiro de um novo tempo que se descortinará.
Nós,
ficamos por aqui,
doidos de dores.
Enquanto
Tu queimas numa praça de Campo Grande,
eu peço ao Cão,
que pare com toda essa devastação.

MIGUEL CARNEIRO

4 comentários:

Anônimo disse...

o mundo se ergue através de merdas, sangue e algo fedorento!
Essa gente que visita o Blog do Braga, não sonha ou não sabe que o poema em questão se fez depois que ANSELMO TOCOU FOGO NO PRÓPRIO CORPO, E SE FUDEU, NUMA PRAÇA EM CAMPO GRANDE, MATO GROSSO DO SUL, ESSA GENTE TÁ INTERESSADA EM LER POEMAS INTIMISTAS, COISAS DE TRIP DE SOLIDÃO QUE NÇÃO LEVA À NADA,
ABRE O OLHO,
NEM TUDO NESSA MERDA QUE CHAMO DE BRASIL É AUGUSTO DOS ANJOS....
PARA QUEM INTERESSAR POSSA!

ronaldo braga disse...

a solidão é reduto dos fortes. calma anonimos, se vc está zangado por falta de comentários no poema divulgue o blog e o poema, o blog tá ai pra qualquer um,é só acessar,não tem essa de ser forçado,afinal é poesia ou o que?porque alguem se mata?nem sempre é por coragem e se for por protesto,parece mais por alguam razão bastante intimista.o miguel é um senhor poeta,não deve nada a ninguem, mas eu nada peço ao cão e nem a deus.

Joaquim Soller de Almeida disse...

um poema gigante em toda sua extensão, uma odisseia e uma ode a vida desesperando a dor, um instante unico na expressão do amor:morrer denunciando o cão

Manoel Grimaldi Santos disse...

Quem é o poeta Miguel Carneiro? Poderia publicar mais poemas dele.
Seu poema encontra lugar no coração do sofrimento e restaura um viver insistir amor