quinta-feira, dezembro 28, 2006

ELEGIA PARA CHARLES BUKOWSKI

Ele dizia
que um poema
eram poetas
egoistas, amargurados
traduzidos
em loucos recados.

Nove de março
eu tomava um porre
saudando outros
que tomastes
em vida.

Vomitei luas impossiveis
fui de tudo
e fiquei sem nada
a madrugada crescia
na rua teus passos
desapareciam de nós.

Vários porres
pelo porre
enquanto
Bukowski
morre.

Zeca de Magalhães

2 comentários:

Nelson Magalhães Filho disse...

Algumas coisas na vida são maravilhosas, como ler poesia. Principalmente quando vem do Zeca, e ainda em homenagem ao velho adorável Buk. Grande abraço.

ronaldo braga disse...

o zeca tem a doce contradição do nobre.