segunda-feira, agosto 01, 2016

Superando a falácia esquerdista

O Brasil, vive, nestes últimos anos, uma prova de fogo, pois estamos passando, momentos, que vários países já passaram, principalmente os da Europa, com o dissabor de ver o discurso de esquerda, ganhar as eleições em 2002 e governar até 2016, são discursos e praticas, equivalentes, quando a esquerda conquistou o poder pelo voto, como com a Espanha, que elegeu Felipe González Márquez.
A Espanha pensando em uma política de apoio ao trabalhador, uma melhor vida para o povo, encontrou uma piora considerável, além de um desemprego gigante, o mesmo que acontece hoje com o Brasil, pois assim como cá, primeiro tudo melhora com a maquiagem e a economia do voo de galinha e depois por esta economia, onde o estado gasta o que não tem, tudo piora em médio e longo prazo. Repassamos aqui, o que já fora reprovado em outros lugares. Triste sina do Brasil, repetir erros, repetir fracassos.
Portanto o discurso de esquerda, já comprovadamente falho, é também um discurso que ao longo da história, sempre usou a ética, o respeito a vida, como um discurso de superfície, para enganar incautos, quando lá fundo, o concreto da esquerda sempre foi a violência, contra o diferente, a eliminação de qualquer ideia contrária para a criação do partido único, superando a fase dos debates, e criando a hegemonia política e acima de tudo o desrespeito à condição humana, assassinando a subjetividade, como base da existência de um ser, afirmando primeiro e antes de tudo a realidade imposta por uma pretensa teoria política e psicológica, para impor uma realidade rasteira e única na humanidade. Impor um valor vindo de cima, vindo de um estado, de um partido único.
E o Brasil teve ao longo de sua história, a sua política sempre contaminada pelos ideais de esquerda, aqui, neste Brasil, a ideologia de direita sempre foi contaminada pelo ideologia de esquerda, e o exemplo mais claro, mais cristalino desta confusão que reina na política brasileira é a ditadura, chamada de ditadura militar, que de 64 até os anos 80, lutou contra os comunistas que pegaram em armas no Brasil.A ditadura militar que teve trabalho contra grupos armados de esquerda, teve por outro lado um papel importante na divulgação do discurso de esquerda, via publicações de livros, prensagem de músicas e exibição e produção de filmes e peças teatrais de esquerda, a ditadura que enfrentou com vigor e torturou em muitos casos, homens e mulheres destes grupos armados de esquerdas, que por sua vez, também não lutavam pela democracia e sim lutavam para implantarem outra ditadura, a ditadura do proletariado, portanto, enquanto combatia a luta armada, a ditadura militar brasileira, financiava e criava as condições para a proliferação da arte e da cultura esquerdista, fazendo nascer e se desenvolver no Brasil uma realidade falseada pelo caldo cultural das “Marilenas”. Milhões, milhões de livros, com conteúdo esquerdista, foram editados, publicados com dinheiro público.
Hoje, 2016, a gente recebe a noticia de que o senhor Luiz Inácio Lula da Silva se torna réu e se torna réu em um processo menor, mas que tem em si o símbolo da era pt, da era da esquerda governando o Brasil: obstrução da justiça, o menor dos crimes cometido por Lula, mas que significa antes de mais nada a tentativa de encobrir outros maiores crimes deste senhor, que viveu e cresceu tendo a mentira e o crime, como base de sua trajetória política.
Não posso aceitar que alguns, como a Tal da Erundina, ou outros políticos de esquerda, venham agora dizer que foi o pt quem errou, não, o Brasil ta julgando e reprovando assim como o mundo fez, é o discurso e a pratica esquerdista, seja Marxista ou não, foi a esquerda quem criou este trágico fim para o economia e o estado brasileiro, foi a esquerda quem criou as condições para este gigante desemprego que assola o trabalhador brasileiro.
Estamos derrotando é a esquerda e não somente o pt, estamos trazendo de novo para respirar o ar da liberdade é o discurso liberal, que mal entendido, foi escorraçado, pois a esquerda quando critica, não critica o projeto criticado, antes inventa um outro projeto, critica, para assim combater sem deixar circular a verdade do discurso que eles não aceitam, não querem. Eles, escamoteiam falseiam e criticam uma outra ideia e não a ideia real liberal, mas agora, acabou, o liberalismo vem com força e vem sendo realmente entendido, é hora de Ludwig von Mises ser estudado com profundidade e quando criticado, que seja a sua ideia concreta criticada e não uma invenção daquilo que não é Mises.
O Brasil precisa de uma política verdadeiramente de direita, para poder ter um crescimento real e concreto e sair das ilusões esquerdistas que acabam sempre criando a escravidão e a falácia do paraíso.
http://www.ronaldobragas.blogspot.com.br
Ronaldo Braga

sexta-feira, julho 29, 2016

JUCA FERREIRA NÃO TEM ESPELHO EM SUA CASA

Conheço muito bem este Juca, quando no fim do governo de João Durval Carneiro, na Bahia, este rapaz participava de uma greve e ele teria um cargo no governo Valdir Pires, que assumiria o governo da Bahia, depois de João Durval, então ele, o Juca, queria acabar a greve, sem ter nenhuma reivindicação atendida, só por que o Valdir iria assumir, nós, os funcionários da Fundação Cultural do Estado da Bahia, mantivemos a greve, e ele o Juca, juntamente com a sua turma, tentou me cortar da comissão de comando de greve, foi derrotado em sua missão de pau mandado do governo em defesa do seu cargo e não dos funcionários.
Este cara, Juca Ferreira, sempre foi um pau mandado, aliás ele deveria explicar a corrupção desenfreada que houve no ministério, quando o Gilberto Gil era o ministro e ele o pau mandado de Gilberto Gil. No Brasil a cara de pau, desses paus mandados vermelhos, que o povo não suporta mais, pois as mascaras desses caras caíram e o povo sabe que não tem ninguém que despreze mais os trabalhadores que esquerdistas.
Agora o Juca deve se deslocar para a BAHIA E PEGAR UM CARGO NA BOQUINHA DO GOVERNO FASCI - NAZI - COMUNISTA DO TAL DO RUI.
Abraços
www.ronaldobragas.blogspot.com.br
Ronaldo Braga

quinta-feira, julho 14, 2016